Com rock e ironia, Maneskin leva Itália à vitória do Eurovision após 31 anos

Dois anos após consagrar o pop romântico de Duncan Laurence e sua Arcade, o Eurovision Song Contest vibra em outro ritmo. A itália é a nova campeã o festival europeu com Maneskin, grupo de rock que foi revelado no X Factor em 2017.

Destaque: Novo álbum do RBD será lançado em junho

O quarteto formado formado por Damiano, Victoria, Thomas e Ethan já havia levado o troféu do Festival da Sanremo, em março, com Zitti e Buoni, proposta apresenta em Roterdã, na Holanda, e arrebatou o coração dos eurofãs.

Pela segunda vez na história, uma banda de rock vence o ESC (a primeira foi em 2006, com a Finlândia). E a Itália volta ao topo da tabela após 31 anos: a última vitória tinha vindo com Toto Cotugno (Insieme: 1992), em 1990.

Depois, o país passou por um hiato de 14 anos fora do festival. Voltou há exatos dez anos com o vice-campeonato de Raphael Gualazzi e o tema Madness Of Love.

A partir de então, sempre figurou entre os favoritos e bateu na trave em 2015 com Il Volo (terceiro lugar com Grande Amore) e Mahmood (segundo lugar com Soldi em 2019).

Desde a escolha de Maneskin para representar os italianos no Eurovision, o país figurava entre os favoritos juntos com França (Voilà) e Suiça (Tout L’Univers), mas disparou após os ensaios nas últimas semanas. Pelo resultado do júri, a Itália acabou na quarta colocação e arrebatou o televoto com 318 pontos.

Veja o resultado final do Eurovision Song Contest AQUI.

A RAI, emissora estatal italiana, já avisou que está pronta para organizar o festival no ano que vem. Turim se ofereceu como sede do evento, mas a cidade ainda não foi definida.

Relembre a apresentação do Maneskin na final do Eurovision 2021

spot_img