Connect with us

Notícias

Jorge Drexler deixa a Warner e assina com a Sony Music

Published

on

Foto de divulgação

Jorge Drexler é agora o novo artista da Sony Music. O cantor e compositor retomou a turnê #giraSILENTE após fechar o contrato com a gravadora da qual, agora, faz parte. Ao assinar o contrato, Drexler revelou estar “muito animado com este novo capítulo” que começa em sua vida. Antes, ele integrava o catálogo da Warner Music.

José María Barbat, presidente da Sony Music Espanha e Portugal, deu as boas-vindas a Jorge Drexler e afirmou que o artista reúne “uma combinação única de personalidade, talento e competência”. “É uma honra ter um artista deste porte conosco, vencedor de prêmios mundiais como o Oscar e o Grammy Latino. Um artista capaz de desafiar o apogeu da música urbana na Meca do Grammy Latino, onde dominou a última edição da premiação”, comentou. Afo Verde, presidente do Conselho e CEO da Sony para a América Latina, Espanha e Portugal, enfatizou: “Todos na Sony somos fãs de Jorge. Admiramos seu talento, sua criatividade, sua humanidade. Sentimos que o melhor de sua carreira está prestes a começar e seremos eternamente gratos a ele e à sua equipe maravilhosa por confiarem em nós. Prezado Jorge, sinto-me profundamente honrado em recebê-lo em sua nova casa”.

Nascido no Uruguai, mas estabelecido na Espanha há duas décadas, a carreira de Drexler está há muito ligada à música e às artes. Vencedor do Oscar de Melhor Canção Original, em 2002, com sua música “Al Otro Lado del Río”, ao longo de sua frutífera carreira gravou 13 álbuns de estúdio, tocou por todo o mundo e se aventurou nos mais diversos territórios. Em novembro passado, foi agraciado com três Grammy Latinos, como reconhecimento pela maneira como entende a música – maneira esta que, agora, podemos chamar de clássica. “Drexler é poesia e harmonia, faz uma música precisa e comovente, como um artesão de emoções universais esculpidas ao longo de três décadas de carreira”, destacou Barbat.

Ator e médico, além de cantor e compositor, a popularidade de Jorge Drexler disparou depois de ganhar o Oscar por “Al Otro Lado del Rio”, apresentada no filme Diarios de Motocicleta – a primeira música em espanhol a receber tal reconhecimento. Nos anos seguintes, acumulou várias indicações ao Grammy e outros prêmios, como o Grammy Latino e o Spanish Music Award, entre muitas outras premiações. “Por sua trajetória, e também porque é uma pessoa maravilhosa, estou muito feliz em dar as boas-vindas a este artista com o qual, com certeza, vamos dividir momentos incríveis”, disse Barbat.

Drexler estreou na música no mesmo ano em que terminou seus estudos de Medicina na Universidade da República Oriental do Uruguai, em 1992. Foi com “La Luz que Sabe Robar”, um prelúdio para “Radar” (1994), que fechou o primeiro capítulo de sua carreira no Uruguai, antes de se mudar para a Espanha. Já neste lado do Atlântico, gravou seu terceiro álbum, “Vaivén” (1996), com as participações de Joaquín Sabina, Luis Eduardo Aute e Javier Álvarez. Drexler vive em Madri desde então, onde continua fazendo novas músicas e aumentando seu catálogo com mais de 10 álbuns originais e várias reedições.

+ Leia Mais: Veja os detalhes da turnê Silente no Brasil

Após lançamentos como “Vaivén”, “Llueve”, “Retrato de una mujer con hombre al fondo” ou “La Edad del Cielo”, em 2008, lançou seu nono álbum, “Cara B”, gravado ao vivo em uma turnê pela Catalunha, que ganhou um documentário intitulado “Un Instante Preciso”. O filme recebeu vários prêmios importantes em vários festivais de cinema. Mas esse certamente não foi o único contato que Drexler teve com a sétima arte. Suas músicas já apareceram em vários filmes e trilhas sonoras, tendo ele, até mesmo, recebido um Prêmio Goya, o qual aceitou em 2011, por “Que el soneto nos tome por sorpresa”, do filme “Lope”.

“Amar la trama” foi um de seus trabalhos mais aclamados, gravado ao vivo, em 2010, e acompanhado por uma grande banda, com a qual fez mais de 70 shows em 10 países. Para se despedir desse álbum, e coincidindo com o 20º aniversário de sua primeira gravação, fez uma turnê chamada “Mundo Abisal”, uma produção aberta à experimentação musical e cênica com o qual percorreu a Espanha e as Américas, incluindo 20 apresentações nos Estados Unidos e no Canadá.

+ Leia Mais: Uruguaio gravou Acústico MTV com Tiago Iorc

No fim de 2012, Drexler também lançou “n”, um trabalho que se afasta do formato discográfico padrão para incentivar a participação do público. Em 2014, lançou o álbum “Bailar en la Cueva”, mais carregado de ritmo e dançante, em que assume mais riscos com o som e o conceito global. Foi agraciado com dois Grammy Latinos: Gravação do Ano, pelo single “Universos paralelos”, e Melhor Álbum de Cantor-Compositor.

Sua sequência, “Salvavidas de hielo” (2017), não lhe renderia dois, mas três Grammy Latinos, nas categorias Melhor Álbum e Canção do Ano, para a “Telefonía”, e Melhor Álbum de Cantor-Compositor. É o seu mais recente trabalho até hoje, inteiramente baseado no som do violão. Mais de um ano após seu lançamento, ele e sua banda concluíram a turnê que os levou a cerca de 81 cidades, em 17 países, tendo tocado para mais de 150 mil pessoas.

Drexler está atualmente em turnê com sua “#giraSILENTE”, com ingressos esgotados, a qual descreveu com as seguintes palavras: “o silêncio como matéria-prima, a música exatamente como surgiu, um infinito inteiro em um segundo, uma guitarra, um verso, uma plataforma para se sustentar”. E agora, ele se junta à família Sony Music para iniciar um novo capítulo que, certamente, será tão bem-sucedido quanto todos os capítulos anteriores de sua carreira.

X