Connect with us

Notícias

Agora é oficial! Descubra o que trava a discografia do RBD no Spotify

Published

on

RBD não irá se reunir, diz produtor

Recentemente, mais uma vez um álbum do RBD foi disponibilizado no Spotify, dessa vez o álbum que havia sido liberado foi o primeiro, que conta com os maiores sucessos do grupo. Quem acompanha o grupo já sabia que a alegria duraria pouco, pois o álbum foi removido da plataforma em questão de menos de quatro dias.

Todos sabemos que a relação do Spotify com o sexteto formado por Anahi, Dulce Maria, Maite Perroni, Alfonso Herrera, Christian Chávez e Christopher Uckermann é polêmica. Há três anos, toda a discografia chegou a ser adicionada ao catálogo, mas foi retirada dias depois.

À época em que a primeira ocasião aconteceu, em função da enxurrada de críticas, a empresa chegou a se manifestar sobre o tema nas redes sociais:

A resposta evasiva manteve o mistério: afinal, por que o material foi colocado e retirado do ar em um período tão curto de tempo?

A filial nacional da Universal Music, que teria ficado com os direitos autorais do sexteto mexicano após o desmembramento da EMI em 2012, revelou meses atrás não ter nenhuma ingerência sobre a decisão do Spotify. A Warner Music, por sua vez, disse que não tem direito sobre o trabalho do grupo.

No ano passado, uma página verificada sobre a banda chegou a afirmar que todo o material voltaria ao Spotify e ao YouTube no mês de abril, mas o retorno acabou não se confirmando.

+VejaMais Estrenos 02 – Il Volo, David Bisbal, Mahmood e Danna Paola são destaques da semana

A resposta parcial para essa situação pode ter sido dada a um de nossos leitores.

Nesse fim de semana a nossa redação foi procurada pelo leitor Luis Marques que entrou em contato com um dos responsáveis pelo maior canal de vídeos do RBD no Youtube para questionar sobre a questão da discografia do grupo nas demais plataformas de streaming. Luis enviou um e-mail ao canal e foi respondido pela Fátima Ribeiro, uma das moderadoras do canal (lembrando que o canal linkado acima não é oficial, porém é o maior na plataforma em questão de números e vídeos disponibilizados em alta qualidade).

Confira abaixo a resposta encaminhada ao nosso leitor:

Boa tarde Luiz!

Fico feliz com sua mensagem.

A questão da discografia do RBD tem sido complicada, não estamos conseguindo liberação da parte de Carlos Lara, tentamos com um empresário comprar a licença de distribuição pelo menos no Brasil, só que mesmo assim Carlos Lara com a sua parte dos direitos veta qualquer lançamento nas plataformas digitais de música.

Estamos conseguindo trabalhar apenas o VEVO/YouTube da banda com alguns poucos materiais, vamos disponibilizando via VEVO a discografia e os DVDs. A ideia é fazer mais transmissões como aquela até mesmo para entreter os seguidores do canal, estas transmissões não são monetizadas por não ter como objetivo lucrar em cima delas.

Seguiremos trabalhando para em breve conseguir trazer o RBD para todas as plataformas como tem que ser. Respondeu Fátima Ribeiro.

Carlos Lara é um dos compositores que trabalhou ao lado de Pedro Damián durante o período de atividade do grupo e também ao lado de Dulce Maria no início de sua carreira solo. Em 2017 Carlos Lara que já não tinha mais proximidade do grupo, procurou Dulce Maria via Twitter informando que havia composto uma música para a cantora. Depois de ser mencionada por vários fãs, Dulce respondeu, porém a conversa parou aí:

Carlos Lara possui grande parte dos direitos autorais das músicas do grupo, sendo assim, ele mesmo não autoriza a comercialização das faixas nas demais plataformas de streaming como mencionado no e-mail acima, sendo assim a gravadora responsável fica impotente diante a distribuição do material. O Dezzer possui alguns álbuns disponíveis, e ainda assim não possui a discografia completa do grupo. Essa questão ainda não foi respondida por nenhum dos veículos de comunicação que procuramos para esclarecimentos. Vale a pena ressaltar que com a evolução das plataformas digitais, a decisão de Carlos não afeta apenas os usuários do Spotify, e sim os fãs que utilizam as demais plataformas como Apple Music, Youtube Premium, Tidal, Claro Musica, Google Play entre outros.

 

 

X