Despacito bate Gangnam Style e é o segundo vídeo mais visto da história

Despacito está reescrevendo a história da indústria fonográfica. Seguindo sua rotina de bater um recorde por dia, o hit de Luis Fonsi e Daddy Yankee acaba de superar Gangnam Style, do coreano Psy, e se tornar o segundo clipe mais visto da história.

O vídeo, inclusive, caminha passo a passo com See You Again, o primeiro da lista, para romper a barreira de três bilhões de acessos pela primeira vez. No momento, o sucesso latino tem 2,917 bilhões visualizações, enquanto a parceria de Wiz Khalifa e Charlie Puth soma 2,978 bilhões acessos.

+ Leia Mais: 5 coisas que você talvez não saiba sobre Despacito

O mais impressionante é a média de cliques em Despacito: a produção é vista 483 milhões de vezes por mês desde que foi lançada, em 12 de janeiro. See You Again foi publicado há dois anos, enquanto Gangnam Style está no ar desde 15 de julho de 2012.

Luis Fonsi já prepara hit para substituir Despacito

A música de 2017, quiçá da década, já tem uma sucessora. Sem revelar o título ou data de lançamento do tema pós-Despacito, Luis Fonsi disse em entrevista a um jornal de Ibiza, na Espanha, onde esteve com a sua Love And Dance Tour, que já definiu qual será o novo single.

E mais: quem esperava um retorno às baladas vai ter de esperar um pouco mais. Com o sucesso global da parceria com Daddy Yankee, ele avisa: “o novo single tem muito ritmo”.

“Me emocionada, é uma meta positiva (superar Despacito), não me sinto pressionado ou nervoso. A próxima canção já está pronta, o disco está pronto, e estou emocionadíssimo com cada uma das músicas. O próximo single será muito especial, assim que me sinto tranquilo. Pelo contrário, me sinto honrado por saber que agora todo o mundo conhece minha música e vai escutar o que vem por aí com ansiedade”, disse o borícua.

“As pessoas vão escutar canções com mais letra, mais melodia e romantismo, mas também com ritmo. Sem dúvida houve uma evolução. Despacito é uma evolução, uma fusão de ritmos latinos, de ritmos urbanos e no novo disco também vão ter muitas canções como essa. É a evolução natural do gênero pop e da música, e é o que o corpo me pedia para fazer”, completou o artista de 39 anos.

 

X