Christopher Uckermann volta a falar que coronavírus não existe e acusa hospitais e médicos de corrupção: “máscara é símbolo do silêncio”

Christopher Uckermann voltou a chocar com suas opiniões controversas sobre a pandemia de coronavírus. O ex-RBD acredita que tudo não passa de teoria da conspiração, com hospitais e médicos sendo pagos para diagnosticarem Covid-19 em doentes e mortos.

Destaque: 5 singles que mostram porque o RBD precisa voltar às plataformas digitais

O mexicano vem perdendo uma série de seguidores por conta de seu posicionamento “coronaplanista”. A cereja do bolo foi uma live feita no dia 14 de maio com Allie (cantora e influencer mexicana) e Krystal Tini, americana conhecida por levantar a mesma bandeira do ator e cantor.

Destaque: Christian Chávez anuncia vinda ao Brasil, é criticado e apaga post

Ela é dona de frases polêmicas como “a máscara é o símbolo do silêncio”, com total apoio de Christopher.

Entre as pérolas do artista estão a crença de que a Covid-19, que já matou mais de 316 mil pessoas em todo o mundo, é um grande esquema do governo, como se o problema fosse local.

+ Leia Mais: Veja X, a parceria do Jonas Brothers e Karol G

+ Leia Mais: Residente mostra lado romântico em Antes Que El Mundo Se Acabe

Além disso, ele acusa médicos de serem subornados pela polícia do México. Sua companheira de live até precificou o crime: cerca de 39 mil pesos pelo falso diagnóstico e reiterou que as medidas de proteção são inúteis. Veja a conversa:

View this post on Instagram

#truthseeking @krystaltini @alliemx @thepurposeofeverything

A post shared by Christophervon (@christophervuckermann) on

Uckermann é o único ex-RBD negacionista. Alguns de seus antigos colegas têm sido vozes ativas durante a pandemia, principalmente Alfonso Herrera, Christian Chávez e Dulce María. Anahí e Maite Perroni, apesar de postarem menos sobre a doença, já levantaram as bandeiras do distanciamento social como forma de proteção.

O curioso é que ele, apesar de ser contundente nas falas sobre a inexistência do coronavírus, foi o primeiro a se manifestar, ainda no fim de abril, sobre uma possível live do grupo: “Espero que em breve aconteça algo. Em breve”, falou o intérprete de Diego Bustamante na série Rebelde.

Mas, pelo visto, o artista só busca palanque para disseminar sua teoria em tempos em que o mundo acumula mortos e doentes. No México, seu país de origem, já são mais de cinco mil vítimas fatais e quase 50 mil infectados.