20 álbuns latinos que completam 20 anos em 2022

São muitos os artistas latinos que têm 2002 como o ano de seu debut no mercado. Àquela época, o fenômeno Operación Triunfo ajudou a inflar as estreias com os lançamentos de David Bisbal, Natalia, Nuria Fergó, Bustamante e Rosa, que aproveitaram o boom do programa para se apresentarem à indústria.

TOP 50 – As melhores músicas latinas de 2021

Naquele ano, o Sin Bandera também dava boas-vindas com um disco homônimo recheado de hits. O mesmo vale para Natalia Lafourcade.

A temporada foi riquíssima: teve Shakira, Juanes, Luis Fonsi, Enrique Iglesias, Lucero, Maná e Diego Torres, por exemplo, publicando alguns de seus trabalhos mais icônicos.

Teve quem ficou pelo caminho com a etiqueta de one hit wonder, como Las Ketchup. Embalado pelo sucesso global de Aserejé, o trio estreou Las Hijas Del Tomate. O resto é história…

La Quinta Estación, Pastora Soler, Marta Sanchéz contribuíram para o ano riquíssimo da música espanhola na virada do século.

Preparem-se para se surpreenderem com “eu não acredito que esse álbum já tem 20 anos, eu o ouvia ontem”, “eu lembro quando comprei”, “ainda sei todas as músicas de cor”, entre outras pérolas que só lembrar o quanto o tempo tem passado rápido. Vamos a eles?

20 álbuns latinos que completam 20 anos em 2022

Corazón Latino – David Bisbal

Foram quase 2 milhões de discos vendidos entre Espanha e América Latina. Uma carta de apresentação e tanto para David Bisbal, que deixou Almeria para tentar a sorte no reality show Operación Triunfo, ficou em segundo lugar, mas até hoje é o principal nome revelado pelo programa. Além da faixa-título, músicas como Dígale, Ave María, Lloraré Las Penas bombaram nos charts.

O álbum rendeu a Bisbal o prêmio de Artista Revelação no Grammy Latino daquele ano.

Deseo – Pastora Soler

O quinto álbum de estúdio da Pastora Soler é, talvez, o que traz o maior número de hits. Publicado em novembro de 2002, Deseo tem faixas como Guerra Fria, Café Café, Amor Amor, Se Me Va La Vida…

Hijas de Tomate (Las Ketchup)

Não havia um ser humano na Terra em 2002 que não tivesse dançado ao som de Aserejé. O hit mundial levou as filhas do guitarrista flamenco Juan Muñoz ‘El Tomate’ a publicarem seu primeiro álbum, o único de grande relevância na carreira.

Em 2006, elas chegaram a representar a Espanha no Eurovision Song Contest, mas não conseguiram nada além da 21ª colocação com Un Blodmary.

Primera Toma (La Quinta Estación)

La Quinta Estación se apresentava ao mundo em 2002 com Primera Toma. O álbum teve dificuldades para emplacar, já que a banda era desconhecida até colocar Donde Irán? na trilha sonora da novela Clase 406, a “prévia” de Rebelde. Perdición e No Quiero Perderte foram outros singles do trabalho de estreia do grupo liderado por Natália Jiménez.

Quizás (Enrique Iglesias)

O sexto disco de Enrique Iglesias – o primeiro em espanhol desde Cosas Del Amor (1998) – rendeu ao espanhol o Grammy Latino de Melhor Álbum Pop Contemporâneo naquele ano. Foram mais de seis milhões de cópias vendidas em todo o mundo e sucessos como Mentiroso, La Chica de Ayer e Para Que La Vida.

Soy Yo (Marta Sánchez)

Soy yoooooooooooooooooo… la que sigue aqui! Além da música-título, que liga a rádio mental cada vez que alguém fala soy yo, Marta Sánchez fez sucesso com faixas como Sigo Intentando e No Te Quiero Más no seu quinto álbum de estúdio como solista.

Natalia Lafourcade (Natalia Lafourcade)

Elefantes, Mirate Mírame, Te Quiero Dar e Busca Un Problema são alguns dos sucessos do primeiro álbum da mexicana Natalia Lafourcade como solista. Produzido por Áureo Baqueiro e Loris Ceroni, o projeto é quase 100% autoral e chegou ao mercado em julho de 2002.

Un Nuevo Amor – Lucero

Lucero já flertava com a música regional mexicana em 2002. Na verdade, Un Nuevo Amor foi seu quinto disco voltado para esse mercado, o 16º de sua longa carreira. Que Alguién Me Diga, Volver Jamás, Como Te Voy A Olvidar fazem parte da seleção de sucessos do álbum lançado em 31 de março de 2002.

Sin Bandera (Sin Bandera)

Áureo Barqueiro aparece uma vez mais como produtor nessa lista, agora no debut do Sin Bandera. Entra En Mi Vida, Kilometros, Sirena, entre outros hits, renderam a Noel Schajris e Leonel Garcia o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Pop Vocal Duo ou Grupo naquele ano. Que estreia!

Revolución de Amor (Maná)

Em 20 de agosto de 2002, Maná colocava no mercado um de seus discos de maior sucesso. Revolución de Amor trouxe sucessos como Ángel de Amor, Eres Mi Religión, Mariposa Traicionera e Sábanas Frias, e acabou arrematando o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Rock Vocal ou Duo e Melhor Engenharia de Gravação de Álbum.

Amor Secreto (Luis Fonsi)

Já consagrado no mercado latino, Luis Fonsi lançava seu terceiro disco em 12 de março de 2002. Amor Secreto é a casa de hits como Quisiera Poder Olvidarme de Ti, Para Vivir e Te Vas.

PS: o álbum não está disponível na íntegra no Spotify.

Un Mundo Diferente (Diego Torres)

O quinto álbum de estúdio de Diego Torres foi lançado em 23 de abril de 2002 e logo deixou marcas indeléveis na carreira do argentino: Color Esperanza, canção composta por Coti Sorokin, virou símbolo good vibes. Até hoje, é a sua música mais popular e chegou a ser cantada para o Papa João Paulo II.

Laundry Service (Shakira)

Shakira já era dona da música latina e mundial quando lançou Laundry Service em novembro de 2001, fazendo seu debut em inglês. Logo no início de 2002 veio a versão em espanhol com sucessos como Suerte, Te Aviso Te Anuncio, Te Dejo Madrid. O disco recebeu algumas críticas em função das composições em no idioma saxão, mas logo se tornou um de seus trabalhos com mais hits, a maior parte deles incluída em seu repertório de shows até hoje.

Un Dia Normal (Juanes)

Juanes lançou seu segundo álbum de estúdio em 21 de maio de 2002. Un Dia Normal é a “casa” de sucessos imortalizados como A Dios Le Pido, Fotografia, La Paga, Es Por Ti, entre muitos outros hits. Ainda hoje, há quem considere esse o melhor trabalho da carreira do colombiano.

Suma (Ricardo Montaner)

Suma é o 11º álbum da carreira de Ricardo Montaner, pai de Mau y Ricky, Evaluna, sogro de Camilo e vovô de Indigo. É o seu primeiro trabalho dedicado ao bolero e o último da carreira do produtor Bebu Silvetti, que faleceu em 2003. Lloras, Tu Cara, Verte Dormida são algumas das faixas que promoveram o disco.

Il Quinto Mondo – Jovanotti

O nono álbum do Jovanotti já nasceu polêmico. Seu título era para ser Vita, Morte e Miracoli, mas Massimo Bubola acusou o rapper de plágio, já que esse era o nome de um disco seu de 1989. Salvami, Ti Sposerò, Morirò d’Amore são algumas das faixas do álbum que, até hoje, é considerado um dos menos emblemáticos da carreira do italiano.

Le Cose da Difendere (Nek)

Sétimo álbum da carreira de Nek, Le Cose da Difendere traz a participação de Laura Pausini na faixa Sei Solo Tu. Publicado em maio de 2002, o disco bombou na Itália e na Suíça com certificados de platina e ouro, respectivamente.

Domani Smetto (Articolo 31)

Articolo 31 revelou J-Ax para a música italiana. Domani Smetto foi o sexto trabalho da dupla, que contava ainda com a presença de DJ Jad, sendo considerado um dos melhores álbuns da formação. Além da música-título, Spirale Ovale, Non È Un Film e Pere viraram símbolos de crítica social em forma de música na Itália.

Uguali e Diversi (Gianluca Grignani)

Gianluca Grignani anda sumido do mercado de lançamentos, mas seu repertório segue cheio de muitos sucessos. Uguali e Diversi é seu sétimo trabalho de estúdio e teve como carro-chefe Lacrime Dalla Luna, que concorreu no Festival de Sanremo daquele ano. O disco ainda é um dos maiores acertos da carreira do milanês, tendo vendido mais de meio milhão de cópias.

Veleno (Mina)

Elegância é a marca de Veleno, um dos álbuns inéditos da lendária Mina já no seu período de reclusão. No fim dos anos 1970, ela anunciou sua retirada dos palcos, mas continuou trabalhando sem aparecer nos meios de comunicação. Prestes a completar 82 anos, a artista vive atualmente na Suíça.

spot_img