20 anos sem Selena: os latinos que não disseram adeus

Na última terça-feira, 31 de março, a música latina completou duas décadas sem Selena Quintanilla. Aos 23 anos, a cantora foi assassinada pela presidente de seu fã-clube, Yolanda Saldívar, num caso que ganhou a imprensa internacional.

Selena era a rainha da música latina. Foi considera a artista hispânica mais influente pela Billboard, ao lado de Shakira e Gloria Estefan. Em seu currículo, consta ainda o feito de ter sido a única cantora a ter cinco álbuns simultaneamente no ranking Billboard 200 dos Estados Unidos, além de incontáveis prêmios.

Apesar de ter nascido nos Estados Unidos, Selena tinha origem mexicana. A trajetória é parecida com a de Jennifer López, que viveu Selena nos cinemas, no filme homônimo lançado em 1997.

O LatinPop Brasil relembra alguns cantores latinos que partiram sem dizer adeus. Uma lista cheia de pesar, lembranças e legado para a música.

Carlos Gardel

O rei do tango morreu aos 45 anos em um acidente aéreo em Medelín, na Colômbia, em 1935. Símbolo da “argentinidade”, Gardel tem em seu local de nascimento um dos grandes mistérios acerca de sua biografia. Há quem diga que o cantor e ator nasceu em Tolouse, na França. Outros dizem que o intérprete de Mi Buenos Aires Querido era, na verdade, uruguaio. O certo é que Gardel se nacionalizou argentino já durante a vida adulta, na década de 1920.

Nino Bravo

Um acidente automobilístico em Cuenca, na Espanha, interrompeu uma das carreiras mais promissoras da música latina no dia 16 de abril de 1973. Nino Bravo morreu com apenas 28 anos. Contemporâneo de Julio Iglesias e Camilo Sesto, o cantor tentou por duas vezes representar seu país no Eurovision, em 1970 e 1972, sem sucesso. Esteve no Rio de Janeiro em duas ocasiões para o Festival da Canção, e acabou sagrando-se vencedor da competição em 1970 com a aclamada Mi Tierra.

Jenni Rivera

Um dos maiores símbolos da música mexicana das últimas décadas, Jenni Rivera foi vítima de um acidente aéreo em 9 de dezembro de 2012. La Gran Señora voltava à Cidade do México após um show em Monterrey para participar de mais um dia de gravação da segunda temporada do La Voz, onde atuava como coach ao lado de Miguel Bosé, Paulina Rubio e Beto Cuevas. O programa terminou na semana seguinte. As causas da queda do avião que levava Rivera e seu staff nunca foram descobertas e as investigações sobre o acidente foram encerradas em dezembro do ano passado.

Gustavo Cerati

A morte de Gustavo Cerati causou comoção no mundo da música. O ex-vocalista da banda Soda Stereo passou quatro anos em coma em virtude de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) sofrido em maio de 2010, após um show na capital da Venezuela, Caracas, ao que finalmente sucumbiu em 4 de setembro do ano passado. Cerati tinha 55 anos.

Pino Daniele

2015 começou com luto na música italiana. No dia 4 de janeiro, Pino Daniele morreu em sua casa, na Toscana, vítima de um infarto aos 59 anos. O cantor estava em plena turnê para divulgar seu último álbum Nero A Metà e foi homenageado dias antes de sua morte com um especial produzido pela RAI. Em seu último tweet, Pino mostrou a imagem de uma estrada com a legenda “De Volta Para Casa”. Eros Ramazzotti foi o primeiro a anunciar a passagem do amigo nas redes sociais.

Lucio Dalla

Lucio Dalla morreu em Montreux, na Suíça, no dia 1 de março de 2012, vítima de um infarto fulminante. Ele completaria 69 anos três dias depois. Ícone da música italiana, sua morte teve repercussão internacional e causou comoção pois duas semanas antes Dalla estava no palco do Teatro Ariston competindo no Festival de Saremo daquele ano.

X