A década na música latina – Espanha foi dominada por Pablo Alborán

Com o fim da década (todo mundo fez aquela retrospectiva do Spotify neh?!) resolvi criar um especial com alguns artistas que fizeram a década na música latina.
Decidi começar por um artista de um país que, para muitos, nem deveria estar incluído no MERCADO LATINO, mas está…e ainda bem!

O artista da vez vem da Espanha e não é a Rosalía… O grande nome espanhol na indústria musical mundial atualmente, pode ser a intérprete de Malamente, mas o dono da década da Espanha é…Pablo Alborán!

Pablo Alborán chegou de surpresa na música espanhola. Começou pelo antigo MySpace, mas foi através do Youtube que ele ficou conhecido. Era no seu canal que ele disponibilizava seus vídeos gravados em sua casa em Málaga.
Na época, o malaguenho de 21 anos, com seu “pañuelo” no pescoço, sentado no sofá branco com seu violão e uma voz de encher o peito foi uma das grandes descobertas da música pop espanhola!

Em 13 de setembro de 2010 lançou oficialmente Solamente Tú, seu primeiro single, que viria a ter o grande momento em fevereiro, junto ao lançamento do seu primeiro disco nomeado Pablo Alborán. Foram 15 semanas no número 1 e 6 discos de Platina!

Se você um dia viajar a Madrid, com certeza, vai querer tirar uma foto na Estação de Callao depois de ouvir essa obra prima!

Ninguém nesta década vendeu mais discos na Espanha que Pablo Alborán! Foram mais de 1,5 milhões de discos vendidos e isso, no atual mercado da música, É MUITA COISA!

São 4 cds de estúdio, 1 acústico, 1 ao vivo e uma edição especial somando mais de 40 discos de platina em vendas!
Tanto é o seu disco recordista, recebeu 10 discos de platina e nesse álbum está a musica Dónde está el amor, canção que acabou ganhando um feat com a dupla Jesse y Joy e é a música mais ouvida do Pablo Alborán no mundo. Prepara o coração que isso é um hino!

Em 2014 viria, o que é pra mim, o melhor disco de todos…TERRAL! Se existe algo a ser superado, é esse disco! (Latin Grammy, nunca vou te perdoar!)
Terral mostra, talvez, o Pablo mais puro, espanhol, andaluz, flamenco. É um disco cheio de melismas e mesclas, com baladas românticas e músicas mais rítmicas sem perder sua essência clássica com letras que sempre querem nos dizer ou nos mostrar algo.

Depois de Terral veio o disco ao vivo Tres Noches en Las Ventas e uma pausa…de quase 2 anos. Como qualquer ser humano, ele precisou de tempo, espaço e respirar!
Voltou em novembro de 2017 com Prometo, um disco mais pop, mais moderno, mas as letras profundas, contando histórias e expressando emoções, estavam ali!
Em dezembro de 2018 lançou uma edição especial de Prometo, com um DVD de um show realizado no Estádio de La Cartuja em Sevilla. Não existe melhor forma de conhecer o trabalho do Pablo que ouvir e ver um ao vivo!
Segura o lencinho!

Em um mundo feito de rótulos, Pablo é colocado no grupo de cantores baladistas espanhóis (Abençoado seja esse grupo! Amo). No entanto, como qualquer artista, a arte precisa ser explorada e isso faz com que busquem novas formas de se expressar, como o último lançamento do próprio Pablo. Tabú, uma parceria inesperada com a cantora Ava Max e que, para alguns, pode parecer uma fuga do artista de suas origens e não mais uma faceta explorada pelo mesmo!
Digam o que queiram, mas aqui tem Pablo de corpo (que corpo!), alma e na sua pura essência!

Pablo se tornou um dos grandes nomes da indústria musical espanhola e latino-americana. Hoje é um dos artistas espanhóis mais influentes na indústria latina depois de Alejandro Sanz!

Em 2020 completa 10 anos de carreira e o que temos visto até aqui é só uma parte da história de um artista que tem tudo pra continuar consolidando seu maravilhoso trabalho!

Ele não veio para ser um instante, um fenômeno, Pablo veio para marcar uma época e entrar para história da música latina e espanhola!

Pode não se tornar um dos mais simbólicos, mas sua música já está aí marcando vidas e histórias…

Até a próxima, direto da Colômbia!
Latinos, manos en el aire!