Connect with us

Habla, Pri

Sobre Tibérios e simplicidade: o show de Enrique Iglesias no Brasil

Published

on

Enrique Iglesias dá show em SP

Da passarela montada no Espaço das Américas, em São Paulo, Enrique Iglesias vê um senhor, já de cabelos brancos, e o chama para o palco. Era Tibério, que viera com a esposa de Porto Alegre para roubar a cena e mostrar que apesar dos 20 anos de carreira, o espanhol conserva o frescor de quem ainda engatinha na vida artística.

Tibério contou que o seguia desde os 12 anos, causando espanto no próprio Enrique. E pediu uma canção que estava fora do setlist, mas levou o recinto abaixo: Experiencia Religiosa.

O filho de Julio Iglesias brindou com o que parecia, de onde eu estava, ser cachaça, dançou com a esposa de Tibério, riu como o menino que explodiu no Brasil com Si Tú Te Vas, ainda nos anos 1990.

Você pode curtir o encontro de Enrique Iglesias e Tibério abaixo:

Tibério nos representou. Quando conversei com o astro por telefone, há duas semanas, contei sobre minha relação com a música. No fim da entrevista, ele disse:

  • Você está em São Paulo? Vai ao show?
  • Sim!
  • Quero te ver lá, fala com o meu empresário para me encontrar.

Eu tinha 15 anos quando ele estourou. Tinha pôsteres, CDs e cantarolava suas canções no pátio do colégio no Tatuapé, zona leste de São Paulo. Deixei de lado a profissional e, como fã, pedi para que o encontro de fato acontecesse no backstage do show.

Imaginei, de verdade, que tinha sido um convite educado, daqueles que a gente faz automaticamente. Qual não foi a minha surpresa quando, devidamente apresentados, ele não apenas se lembrava do que tinha me dito e agradeceu pela entrevista.

E enquanto esperava minha hora, eu o observava de longe. Solícito, terror dos seguranças que não conseguem contê-lo, ativo, simples. Pegou criança no colo, abraçou todo mundo, tirou selfies, uma, duas, três… quantas fossem necessárias para agradar.

É gente como a gente, toca, abraça, conversa. Minha última experiência observando um Meet & Greet tinha sido muito diferente, com fãs tratados feito gado, artista que nem dá boa noite, uma foto e tchau. Enrique Iglesias redefiniu meu conceito de simplicidade.

A passarela citada acima ia até o fim da casa de shows. Ali, ele ficou perto de quem pagou mais barato para vê-lo. Um detallazo, já diriam os hispânicos.

Como alguém que esperou 22 anos por aquele momento, curti o show como uma fã qualquer, da fila do gargarejo, e vendo o pai dos pequenos Nicholas e Lucy subir do palco, abraçar quem vinha pela frente, interagir 100% do tempo com os fãs. É de impressionar sua vitalidade aos quase 43 inacreditáveis anos.

Sobre tecnicalidades? Hoje não estamos aqui para isso. Eu já tinha ouvido coisas ótimas sobre ele. E coisas horríveis também. Não consigo, neste momento, imaginar estrelismo.

Enrique contou no palco que é uma pessoa difícil e escreve músicas para que a namorada, Anna Kournikova, o perdoe. Talvez seja mesmo na vida pessoal. Como profissional, ele por si só é um espetáculo.

Quase chorando, o cantor disse ainda que não acreditava ter passado tantos anos sem vir ao Brasil. Que o menino que vinha muito a São Paulo e Rio de Janeiro ainda na juventude nunca imaginou que pudesse voltar 20 anos depois. E prometeu fazê-lo mais vezes.

Uma promessa que será cobrada. Especialmente para um show mais acessível tanto no valor, quanto na data. Merecia uma dobradinha no fim de semana. Merecia a casa abarrotada.

Mas volte, Enrique. Volte logo!

E obrigada, Tibério!

X