Connect with us

Listas

Sete nomes do reggaetón feminino para conhecer!

Published

on

Ivy Queen é uma das mulheres mais importantes do reggaeton

Hola, amigos de LatinPop Brasil!

O mundo se rendeu ao reggaeton, não tem pra onde correr! Depois do estouro de canções como Mi Gente, do J Balvin, Felices Los 4 do Maluma e Me Rehúso, do Danny Ocean, muitos artistas estão se enveredando no ritmo que já era mais do que obrigatório na música latina. Inclusive, as mulheres perderam o medo e se empoderaram o suficiente para cantar reggaeton.

Temos exemplos claríssimos de estrelas pop que já gravaram músicas do gênero: Becky G, Tini, Paty Cantú, Maite Perroni, até mesmo a americana Fergie, em parceria com Daddy Yankee! Porém, se não fossem algumas dessas cantoras que iremos apresentar nessa lista, talvez as outras não tivessem a mesma coragem de participar de um ritmo tão tipicamente masculino.

As mulheres do reggaeton

Mara Prada

Original da Colômbia, terra abençoada pelos deuses do Reggaeton, Mara Prada foi descoberta em 2001 graças ao reality show Popstars, e estourou com seu primeiro single, Oye. A cantora vive nos Estados Unidos desde 2011 e por lá, segue sua carreira como cantora de várias canções latinas direcionadas para as aulas de Zumba Fitness, super populares pelo mundo inteiro.

Farina

Outra colombiana que arrasa no reggaeton é Farina, cantora revelada pelo XvFactor colombiano. Original de Medelim, a moça não fica apenas no ritmo do momento, ela também já lançou músicas de dancehall (ritmo tipicamente caribenho, como as músicas do inicio de carreira da Rihanna) e r&b, estourando na música latina com o hit viral Pum Pum. Ela também faz algumas pontas de atriz e está seguindo sua carreira internacional, pelo selo da Roc Nation (a gravadora de Jay-Z, apenas).

Natti Natasha

Diretamente da República Dominicana temos Natti Natasha, que surgiu para o mundo graças a Dutty Love, parceria com Don Omar que lhe rendeu status de estrela do reggaeton. A cantora também já fez parcerias com Ozuna, Daddy Yankee e até mesmo uma parceria póstuma, com Selena (em Fotos Y Recuerdos).

Glory

A cantora porto-riquenha é uma das primeiras cantoras a se aventurar no reggaeton, lá em 1997. Sua carreira decolou com suas frases de impacto nas músicas, vide Suelta El Gabete e a sua parceria mais popular, com Daddy Yankee em Gasolina (sim, é ela quem grita o “DÁME MAS GASOLINAAAA”). Ela é uma das musas inspiradoras de várias das cantoras aqui citadas.

La Sista

A portoriquenha é original da cidade de Loiza, ao norte do estado, local muito conhecido por suas raízes africanas e pela larga quantidade de população negra. Dito isso, a cantora também conhecida como La Mussa del Reggaeton lançou seu primeiro disco em 2006, Majestad Negroide, e trabalhou com diversos artistas latinos (Jerry Garcia e Domingos Quiñones) durante sua passagem pelo reality show La Casa.

K-Narias

As irmãs gêmeas Gara e Loida, originais das Ilhas Canárias, na Espanha, formam a dupla reggaetoneira K-Narias, que surgiu em 2004. As moças tem o selo de aprovação dos Luny Tunes e já trabalharam com nomes como Nicky Jam, Jose Feliciano e Noriega.

Ivy Queen

Se Mara, Farina, K-Narias e diversas outras artistas se aventuraram no reggaetón, tudo foi graças a essa moça, que abriu espaço para o sexo feminino no gênero. Ivy Queen é “La Reina Del Reggaetón”, e não é a toa. Desde 1993 na ativa, a cantora e atriz possui mais de 10 discos e duas compilações de seus melhores sucessos. Um dos seus hits mais conhecidos é Que Lloren, que se popularizou como trilha sonora do game FIFA 2007.

EXTRA: Jofrancis

E quem disse que não tem brasileira se jogando no reggaeton? A paranaense Jofrancis Martins traz pra gente Trato, o seu novo single que aposta no ritmo do momento.

Faltou alguma artista que você gosta? Manda aqui pra gente nos comentários!

Listas

5 motivos para não perder os shows da Laura Pausini no Brasil

Published

on

Laura Pausini traz ao Brasil a sua Fatti Sentire World Tour

Está chegando a hora, fãs da Laura Pausini. Vocês ouviram o que eu disse: está chegando a hora de mais uma turnê da Laura Pausini no Brasil e a gente está como?

A resposta é: impactados. Emocionados. Ansiosos. Emocionados. Saltitantes. Já dissemos emocionados?

Ah, sim, e separando o powerbank pra fazer mil Insta Stories e talvez alguns lives pra vocês no Instagram do LatinPop Brasil. #Dica: ativem as notificações!

Não que precise, mas ainda assim aí vão 5 motivos para você não perder de jeito nenhum os shows da Laura Pausini por aqui, seja ao vivo ou pelas nossas redes sociais.

5 motivos para não perder os shows da Laura Pausini no Brasil

Vamos a eles?

1 – Porque os clássicos nunca faltam…

Não é fácil montar uma setlist para uma artista 25 anos de carreira e mais hits do que é possível contar com os dedos da mão e dos pés juntos. A própria Laura Pausini admite isso. É um dos motivos pelo qual ela sempre faz alguns medleys  para cantar o maior número de músicas possíveis.

Mais alguns clássicos, ah, esses nunca faltam. VivimiTra Te e Il Mare, Invece No, La Solitudine… Essas você já pode ir praticando (isso se já não tem decoradas!)

2 – … e nem os novos hits!

Sabe o que isso quer dizer? Que você pode separar o lencinho para chorar horrores com SimiliNon È DettoLato Destro Del Cuore. Mas que também tem que ensaiar as coreografias do remix de Nadie Ha Dicho E.STA.A.TE. E vamos torcer para Innamorata entrar no setlist do Brasil, já que em toda a etapa latino-americana da turnê ela não apareceu.

3 – Olar, você já ouviu essa mulher cantando?

Dispensa comentários. Aperte o play.

De nada.

4 – Ela sempre canta em português

Poucos artistas escutam tanto os fãs da Laura Pausini. Cada show é especial, pensado para o público local. Ela sabe o que cada país quer ouvir e faz questão de atender, na medida do possível. Isso quer dizer que sempre rola pelo o menos uma música em português pra a gente se apaixonar ainda mais pelo sotaque da Rainha da Itália.

5 – Você lembra o que ela fez em 2016? Então…

Em 2016, um rompimento de cabos atrasou o show que abria a turnê brasileira em São Paulo. O que Laura Pausini fez? Esperou pacientemente no camarim?

Nananinanão.

Ela foi pro palco, pediu desculpas pelo atraso e… Ficou. Bateu papo com os fãs, rebolou, fez piada, cantou. Não arredou o pé dali até confirmarem que os problemas tinham sido resolvidos e o show podia começar. Clica aqui pra relembrar tudo!

Bem-vinda de volta ao Brasil, Laura Pausini. Bem-vinda de volta à sua casa!

Laura Pausini Fatti Sentire World Tour – Laura Pausini no Brasil

São Paulo

Data: 20 e 21 de agosto
Local: Credicard Hall (Av. das Nações Unidas, 17955 – Vila Almeida, São Paulo – SP)
Horário: 21h30
Preço: de R$ 100 a R$ 700

Brasília

Data: 23 de agosto
Local: CCUG Centro de Convenções Ulysses Guimarães (St. de Divulgação Cultural 05 Eixo Monumental – Brasília, DF)
Horário: 21h00
Preço: de R$ 200 a R$ 400

Recife

Data: 25 de agosto
Local: Classic Hall (Av. Agamenon Magalhães, S/N – Salgadinho, Olinda – PE)
Horário: 22h00
Preço: Ingressos Esgotados

Curitiba

Data: 27 de agosto
Local: Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido, Curitiba – PR)
Horário: 21h00
Preço: de R$ 400 a R$ 1100

Continue Reading

Listas

Dia Internacional dos Canhotos: os latinos que usam a mão esquerda

Published

on

Lucero é uma das latinas a comemorar o Dia Internacional dos Canhotos

Você sabia que em 13 de agosto é comemorado o Dia Internacional dos Canhotos? Estudos sugerem que entre 10% e 15% da população mundial utilize a mão esquerda para seus afazeres.

A curiosidade em torno das razões para uma pessoa nascer destra e outra canhota sempre existiu. Na Idade Média, acreditava-se que se uma pessoa tinha dominância pela mão direita ela era saudável e abençoada, enquanto os que preferiam a mão esquerda eram criaturas demoníacas e perversas.

Segundo um artigo publicado no portal IG, o canhotismo ainda é cheio de incógnitas para os cientistas. “Existem pesquisas que tentam entender o porquê do canhotismo ou do destrismo, mas nada pôde ser comprovado cientificamente”, diz o psicólogo especializado em Neurociências Márcio Toledo. Apesar disso, todos partem do princípio da teoria da lateralidade. “Ela pode ser definida como a preferência (e dominância) de cada pessoa por um dos lados do corpo – não só a mão”, afirma o psicólogo.

A lateralidade parte do princípio de que o corpo depende das atividades cerebrais para funcionar e, portanto, segue as ordens dele. O cérebro, por sua vez, é dividido em dois hemisférios: o direito e o esquerdo. O lado esquerdo dele coordena a parte direita do corpo, enquanto o direito coordena a parte esquerda do corpo.

Segundo a lateralidade, cada pessoa tem um maior comando por uma das partes do cérebro e é aí que se define quem é canhoto e quem é destro – os destros são comandados pelo lado esquerdo do cérebro e os canhotos pelo lado direito. Também há pessoas que têm a mesma dominância de comando dos dois hemisférios cerebrais e, portanto, têm a mesma facilidade em ambas as partes do corpo.

Complicado, não? O importante é que os britânicos começaram a celebrar essa minoria desde 1976 e como o LatinPop Brasil gosta de uma comemoração não vamos deixar a efeméride passar em branco, não é?

Veja 6 artistas latinos canhotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Continue Reading
Advertisement

Playlists

Advertisement
X