Conecte com a gente

Entrevistas

Valentina Zenere: ouça a íntegra da entrevista com a vilã de Sou Luna

Publicado

em

Valentina Zenere

Era fim de tarde de quinta-feira, 22 de junho, quando o escritório da Disney na Argentina fez contato com o LatinPop Brasil. A conexão com uma animada Valentina Zenere, prestes a desembarcar no Brasil para o show único de Sou Luna em setembro,  estava pronta.

Valu, como é carinhosamente chamada pelos fãs, tem fala rápida, é simpática e gosta de uma boa conversa. E mais: não foge de assunto polêmico não, como a personalidade dissimulada e difícil de Ámbar Smith, sua personagem na série que conquistou o mundo.

“Eu não quero que ela termine boa, gosto da personalidade dela”, confessou a loira de 20 anos nascida em Buenos Aires.

A jovem também aproveitou o bate-papo para falar sobre sua expectativa para a turnê no Brasil, contar que prefere o casal que forma com Michael Ronda, o Simón em Sou Luna, e as dificuldades que enfrentou para aprender a patinar na composição da personagem.

Além disso, ela confirmou a terceira temporada da produção quando contou que sua música favorita é a que está gravando para a nova fase.

Animados para ouvir o bate-papo na íntegra?

Ouça a entrevista completa com Valentina Zenere, a Ámbar de Sou Luna, ao LatinPop Brasil

Entrevista com Valentina Zenere

Valentina Zenere: Olá, como você está? Bem?

 

LatinPop Brasil: Bem, boa tarde. É um prazer conversar contigo.

 

VZ: Um prazer falar com você também.

LP: Valentina, estamos em uma contagem regressiva para esse show que todos vocês de Sou Luna vão fazer no Brasil. Você já esteve no país alguma vez? Acho que já te vi em alguma foto de praia, mas para show é a primeira vez. Como você se sente e o que você espera do público brasileiro?

 

VZ: Olha, como você disse, no Brasil, as praias eu amo. Sempre vou. A minha família adora o Brasil. É um lugar para onde vou bastante. Estivemos aí há uns anos, quando fizemos a estreia para a imprensa. E já nesse momento estavam eufóricos, não conheciam a história ou os personagens e nem nada. Agora que já está tudo no ar, fazer um show aí.

 

LP: Eu vou te dar um spoiler. No Brasil, Sou Luna é totalmente uma febre. E tem muitas meninas e muitos meninos que estão aprendendo, fazendo aulas de patinagem por causa da série. É uma febre! Como você se sente, chegando tão longe com uma história em um país que nem fala o seu idioma? Como é para você ir além da Argentina?

 

VZ: É uma loucura! Isso um pouco a gente já sabia que ia acontecer com a Disney não somente no país em que vivemos. Mas me parece louco tudo o que acontece. Tenho consciência da sorte e eu não posso estar mais feliz e agradecida ao mesmo tempo. Me dá muita vontade de seguir adiante trabalhando.

 

LP: Vou te fazer uma pergunta muito difícil, porque… Qual é o segredo da série? As músicas, a coreografia, a história, a patinagem… O que para você é o segredo que fez com que Sou Luna se tornasse uma febre mundial?

 

VZ: Olha… Pra mim parece que o segredo está no fato que cada um de nós ama muito o seu trabalho, de verdade. Nós nos damos muito bem, mas por sorte o amor que temos pelo o que fazemos. Eu acredito que isso sempre transparece na tela. As canções são muito boa, o patins também, a história é incrível, tem muito disso. Mas o amor e a vontade que nós colocamos no que fazemos é a chave do sucesso para mim.

 

LP: E como você se sente sendo a vilã? A menina má da série?

 

VZ: Eu fico feliz! Eu sempre digo que se alguém viesse e me dissesse “amo Sou Luna, tudo de novo, mas dessa vez você é a Luna, eu morro antes. Eu sempre diria que não! Eu amo a personagem da Ámbar, eu adoro o quão má ela é. E cada vez ela fica mais má! Eu estava lendo os capítulos da terceira temporada e estou com muita vontade de fazer. Estou… É impressionante, mas não me deixam que te digam sempre coisas muito, muito divertidas. A Ámbar e uma personagem com a qual eu estou aprendendo muitíssimo.

 

LP: Me conte um pouco da sua carreira, desse seu lado cantora. Você também canta profissionalmente ou isso é uma coisa da personagem ou você prefere atuar.

 

VZ: Olha… Na verdade é que se você me pergunta para onde eu quero levar minha carreira, é para a atuação. Eu tenho muita vontade… Não sei… De ganhar um Oscar e atuar em Hollywood. É isso o que eu quero fazer. Com Sou Luna e a Disney, sempre digo que eu gosto muitíssimo de cantar. Então também podia fazer algo com o canto, porque o que tem um cantor, é que tem a possibilidade de fazer shows ao vivo e um ator nem tanto. Então podemos fazer um pouco dos dois.

 

LP: E da série, qual é a sua música favorita?

 

VZ: A minha música favorita da série. Ééééé… Eu não sei! Agora eu estou conectando com as novas canções da terceira temporada e eu estou aprendendo nesse momento e a que eu tenho minha, solo, eu adoro! Eu adoro, adoro, adoro porque ela tem um estilo totalmente novo, mas que eu não posso contar. Mas eu gosto muito, muito de Eres.

 

LP: A Ámbar vai se tornar uma menina boa? Algum dia?

 

VZ: Acho que não! Espero que não! Ela tem uma couraça, tem um coração e passam um monte de coisas. E se ela quiser mostrar, que mostre. Eu me divirto muito fingindo ser má e espero que pelo o menos até o último capítulo ela não fique boa.

 

LP: Seus fãs aqui do Brasil estão perguntando: Matteo ou Simón? Com quem você gostaria que a Ámbar ficasse no final?

 

VZ: Que a Ámbar fique com o Simón! Claro que sim! Simón está apaixonado pela Luna (??). Não dá para ficar procurando o amor onde não existe. Eu acho que o Simón pode conseguir mudá-la. O Simón pode fazer muito bem para a Ámbar.

 

LP: Vamos falar mais um pouco do show. Como é esse show que vocês vão trazer ao Brasil? Há patinação, alguma surpresa para o público brasileiro?

 

VZ: Surpresas sempre teremos. E as vezes surpresas também para nós. Cada vez que fazemos um show, temos que estudar, fazer as coisas todas. Vão surgindo coisas do ao vivo, a energia que as pessoas transmitem, coisas do palco. Sempre acontece alguma coisa, os shows nunca são iguais. Então surpresas teremos com certeza, e o show está muito, muito, muito bom. Conseguimos uma energia muito grande, muito bonita, que dá muita vontade de dançar, momentos mais tranquilos. Têm os patins também. Tem de tudo um pouco. É como uma montanha russa de emoções!

 

LP: É um grande show… Agora duas perguntas dos seus fãs também. Que tipo de música você escuta? O que a Valentina escuta?

 

VZ:  Eu gosto muito. Se eu tivesse que fazer uma música, eu não saberia o que fazer porque eu gosto de muitas coisas. Mas eu tenho escutado muito Selena Gómez, que eu adoro. Eu também gosto muito do The Weekend, mas o Black Eyes Peas são meus favoritos.

 

LP: E também estão querendo saber se foi muito difícil trabalhar com os patins, se isso era algo novo para você, ou se você já praticava como esporte?

 

VZ: Olha, foi totalmente novo para mim e não vou mentir: no começo eu me frustrei muitíssimo. Eu me largava no chão chorando e dizendo que não tinha jeito. Eu não tinha ideia do que era patinagem. E além disso a Ámbar é a rainha da pista então eu também tinha que ser a rainha da pista.  Uma equipe de coreógrafos e de coaches de patins muito, muito bons  e conseguimos aprender um monte de coisas. Hoje eu patino.

 

LP: Eu não vou tomar mais do seu tempo. Eu só te deixo meus melhores desejos. Eu tenho uma filha de oito anos que é viciada em Sou Luna e já está contando os dias para ver vocês. Eu adoraria se você pudesse deixar uma mensagem aos seus fãs do Brasil.

 

VZ: Ai, que linda! Mande um beijo muito grande para a sua filha, antes de mais nada. E eu gostaria de dizer muito, muito obrigada.  Eu amo vocês de verdade. Obrigada.

Entrevistas

[Exclusivo] Lali Espósito: “Em Brava, eu quero falar da mulher que eu sou”

Publicado

em

Lali fala o novo disco, Brava, os fãs brasileiros e muito mais

Entrevistas por telefone geralmente são rápidas e objetivas. Sem o olho no olho, o bate-papo não anda como pessoalmente. Não com a Lali. A conversa (sim, porque é mais uma conversa do que uma entrevista em si) de quase meia hora é natural. É como em um bate-papo entre conhecidos em um café qualquer.

Lali fala de tudo, fala porque é inteligente e porque gosta“Eu não tenho problemas para falar“, ela mesma brinca.

Falar de música, dos projetos, dos fãs. E são os fãs e o seu novo projeto, Brava, alguns dos seus assuntos favoritos. A empolgação da estrela argentina com a nova fase é evidente: ela está tão ansiosa quanto seus lalitos pela saída do disco.

Eu escrevo as minhas próprias letras. E quando você escreve, você fica atento em ser honesto com aquilo que quer cantar. (…) O meu estilo, o pop, permite que você brinque com as possibilidades e os gêneros. Por sorte a música latina está muito forte e estamos aproveitando esse momento, estou me encontrando nestes sons novos. (…) ‘Brava’ é um passo novo para mim artisticamente, em relação ao meu som.

Até aí fácil falar. Só que a Lali é a Lali. Entre os “pronto” que gosta de soltar para os fãs, ela também se engaja em temas mais complicados. É o caso da descriminalização do aborto na Argentina, que ela defende abertamente. Também é o caso do feminismo, assunto que lhe causou alguma dor de cabeça depois de declarações confusas.

“É claro que eu não gosto (da maneira que algumas músicas latinas falam da mulher). Mas brigar com isso não adianta nada. Do meu lugar musical, eu busco justamente o contrário. Quero falar da mulher que eu sou, falar de mulheres que não se dedicam à música, mas que se sentem representadas quando uma mulher fala sobre ser mulher. É claro que me preocupa que o meu sobrinho de 5 anos ouça algumas letras, mas isso faz parte de uma indústria e a indústria sempre teve de tudo. As pessoas fazem as suas escolhas.”

A conversa (não foi mesmo “só” uma entrevista) continua com assuntos mais fáceis. E uma promessa especial para os fãs brasileiros.

“O Brasil é o primeiro país na lista para encontrarmos uma data. Vamos encontrar essa data com a turnê”.

Está gravado Lali. Também está gravado o convite para assistir ao seu show no Brasil na primeira fila. Pode ter certeza que estarei lá. Aliás, estaremos. Porque os seus fãs estão ansiosos por esse dia que não demora a chegar.

Ouça a entrevista completa do LatinPop Brasil com a Lali Espósito

Continuar Lendo

Entrevistas

Com Ricky Martin na mira, Francinne apresenta hoje EP em São Paulo

Publicado

em

Francinne lança o EP La Rubia

Não é preciso ser catedrático em emoções para perceber que Francinne flutua com o reconhecimento de seu trabalho. Está estampado no sorriso e no olhar da gaúcha, que por conta da proximidade com países hermanos acabou se apaixonando pela música latina.

E não é marketing de quem escolheu esse caminho para a trajetória artística: La Rubia, realmente, consome o mercado como pouco se vê no Brasil. Dos consagrados Ricky Martin, Alejandro Sanz e Thalia até às revelações Natti Natasha e Karol G, ela ouve de tudo. E sonha, algum dia, cantar ao lado do borícua:

“Seria um featuring lacrador”, contou Francinne por telefone ao LatinPop Brasil.

Ela acaba de colocar no mercado o EP La Rubia, em que traz toda a sonoridade do reggaetón para o mercado brasileiro. No momento, Perigosa é sua faixa favorita: “Mas amanhã será outra, depois outra, vai do momento”.

O trabalho será apresentado nesta quarta-feira, 9, no badalado Paris 6, em São Paulo. Ao seu lado, a loira terá Wanessa Camargo e Luisa Sonza. Um timaço de mulheres que representam uma inversão de mercado:

“As mulheres conseguiram mostrar sua força com união, o mercado virou. A gente pode tudo, pode falar sobre tudo nas músicas”, disse a cantora que tem como single atual Corpo Caliente.

Francinne terminou o bate-papo falando sobre a perseverança, nunca desistir do sono, em um recado cheio de ternura para os fãs. O sonho dela?

“Enaltecer a música latina no Brasil”.

Ouça La Rubia, o novo EP da Francinne

 

Serviço – Show Francinne – Lançamento do EP ‘La Rubia’

Dia: Quarta-feira – 09/05

Local: Paris 6 Burlesque

Endereço: Rua Augusta, 2809 – Cerqueira César – São Paulo

Abertura da casa: 20h

Horário/ início do show: 21h

Duração do show: 75 minutos

Capacidade da casa: 230 lugares

Valor: R$ 50,00

Formas de pagamento: Dinheiro, Cartões de crédito/débito: American Express / Cabal / Diners / Good Card /Hipercard / Mastercard / Visa / Aura / Elo / Sorocred.

Não aceita cheque.

Classificação etária: 14 anos

Ingressos antecipados: no site do Ingresso Rápido, na bilheteria do teatro Procópio Ferreira (terça a domingo, da

Continuar Lendo
Anunciantes

Playlists

Anunciantes
X