Conecte com a gente

Entrevistas

Paty Cantú: “Entrar no reggaetón é uma mensagem de empoderamento”

Publicado

em

#333 é o novo álbum da Paty Cantú

Se você esperava um disco de Paty Cantú com Valiente, Amor Amor Amor e Rompo Contigo, saiba que as músicas entrarão como bônus track do próximo projeto discográfico da mexicana, #333, ainda sem data de lançamento divulgada.

O primeiro single oficial do álbum é #Natural, lançado no último dia 10. A música é resultado de anos de experiências culturais e musicais que transformaram a cantora desde o seu último trabalho, o Drama Queen En Vivo, de 2014.

Veja #Natural, o novo clipe da Paty Cantú (feat Juhn)

Assim como anterior, o novo CD também é um live. E com várias participações especiais ainda mantida em sigilo pela artista de 33 anos, nascida em Houston, mas criada em Guadalajara, no México.

“Tudo evolui na vida (…) Fazer reggaetón é também uma mensagem de empoderamento e tem tudo a ver com a fase que vivo”, disse Patrícia, que intercalava cada resposta com uma sonora risada.

O projeto foi gravado em sua terra natal e é bastante representativo em termos de raízes, de encontros e de descobertas. E ela é antenada. Ao falar de Brasil, citou Anitta como um exemplo de mulher de sucesso na música.

“Ela é lindíssima e muito talentosa (…) O Brasil teve várias bandeiras, de vários gêneros, mas agora é a vez dela”, disse a intérprete da inesquecível Corazón Bipolar.

Ela ainda lembrou a mensagem que mandou em português que levou os fãs brasileiros ao delírio no ano passado. “Foi uma maneira de me comunicar (…) Eles saem do Brasil e vão à Argentina, ao México para me ver. Acho que chegou a hora de eu retribuir e ir até vocês”.

Ouça a íntegra da entrevista de Paty Cantú ao LatinPop Brasil

Entrevistas

Antes de voltar ao Brasil, Diogo Piçarra fala sobre carreira internacional e emoção de cantar no Rock In Rio

Publicado

em

Diogo Piçarra volta ao Brasil nessa semana

Os fãs de música portuguesa no Brasil só tem o que comemorar. Uma das maiores estrelas da nova geração lusa, Diogo Piçarra, volta ao país este fim de semana. O objetivo: divulgar a chegada uma edição especial do disco Do=s, que agora inclui Trevo (Tú), a parceria com as talentosas Anavitória.

Em entrevista exclusiva ao LatinPop Brasil, ele falou sobre a importância deste lançamento.

“Esse lançamento significa um grande passo na minha carreira. Eu nunca pensei em cantar com as Anavitória, com alguém assim tão grande, tão gigante, e muito menos em ter um disco no Brasil”, refletiu. “Isso é muito importante não apenas para mim, mas também para a música portuguesa. É muito difícil ver discos de música pop portuguesa chegarem aí. Não só pra mim, mas também para os fãs é muito bom poder comprar o disco”. 

Mas a internacionalização da carreira de Diogo Piçarra não vai parar no Brasil não. Recentemente ele esteve na Espanha e já começou a trabalhar por ali.

“Eu estou escrevendo para alguns artistas de lá. O objetivo é começar assim, por enquanto apenas escrever. Mas eu espero fazer algo com uma cantora que eu conheci, que é a Aitana (OT 2017). Ela é incrível, ela é muito bonita e tem uma voz muito boa. Mas ainda não existe um dueto.”

Planos para depois do Brasil? Ele já tem. Dois dias depois de voltar para casa ele vai subir ao palco do Rock In Rio Lisboa. Essa será a sua primeira vez no festival.

“Este é um momento muito especial não só pra mim, mas também para os meus fãs, que vinham pedindo que eu cantasse no Rock In Rio. (…) Este é um palco enorme, gigante. Eu nem sei o que fazer ali, seu eu corro…”, brincou.

Durante o bate-papo, o astro português também foi sincero sobre as polêmicas que envolveram a sua participação no Festival da Canção. Polêmicas que envolveram até mesmo a Igreja Universal. Mas deixa que isso ele mesmo explica.

Aperte o play e ouça a entrevista exclusiva com o Diogo Piçarra

Continuar Lendo

Entrevistas

[Entrevista Exclusiva] Thalia: “Eu tenho urgência de ir ao Brasil”

Publicado

em

Thalia fala sobre o desejo de voltar ao Brasil em breve

Thalia é um ícone. Não é possível falar de música latina sem falar no nome da mexicana. No Brasil então, é impossível. Thalia ajudou a moldar toda uma geração de fãs de música latina no país.

Mas ao conversar com ela quase dá pra esquecer do seu tamanho. A mexicana de 46 anos atendeu a reportagem do LatinPop Brasil alguns dias antes do lançamento do novo single, No Me Acuerdo feat. Natti Natasha. E sua empolgação com a nova música era fácil de perceber.

“Essa é uma música com uma história muito divertida. Todo mundo já passou por isso que ela conta, esse blackout, não lembrar de alguma coisa. É uma música sexy, mas também de empoderamento, de uma mulher dizer: ‘se você gosta que bom, mas se não gosta, adeus.”

Empoderamento, aliás, foi uma palavra que Thalia repetiu muito durante a entrevista. Para falar sobre a sua própria música, mas também sobre a parceira Natti Natasha e as outras mulheres na música.

“As novas intérpretes estão mais empoderadas, elas dizem o que estão sentindo no momento. Se elas querem contar uma história de amor ou uma história mais atrevida ou mais sexual, elas o fazem. (…). A música é uma plataforma para a evolução da sociedade, para as mudanças que estão acontecendo. As mulheres hoje em dia estamos no controle do que queremos, como queremos. Estamos mais unidas”.

Mas a pergunta que não quer calar e que todos fãs querem saber é: afinal, quando teremos Thalia no Brasil? Se depender dela, será em breve. Mas, apesar dos rumores que invadem as redes sociais com certa frequência, ainda não tem nada certo. “Tomara que quando eu lance o disco, eu possa passar por aí“.

Eu tenho urgência de ir ao Brasil. A pessoa que tem mais vontade de ir ao Brasil sou eu“, explica animadamente. “Eu adoro o Brasil, adoro as pessoas. Amo os meus fãs daí, eles são apaixonados, amorosos e leais. Eu amo a cultura de vocês. Amo a música, amo as cidades, amo as praias, a comida, a feijoada, gosto de tudo, da caipirinha“.

A gente espera não ter que esperar muito.

Ouça a entrevista completa com a Thalia

Continuar Lendo
Anunciantes
Anunciantes
X