Connect with us

Entrevistas

Daniel Drexler

Published

on

Foi com um sorriso sereno, fala mansa e português impecável que Daniel Drexler recebeu a reportagem do LatinPop Brasil na noite da última quarta-feira (16) em um hotel da zona oeste de São Paulo. O uruguaio tinha desembarcado na cidade há poucas horas e, apesar do cansaço, esbanjou simpatia ao promover seu último trabalho: o DVD + livro Tres Tiempos, que reúne os sucessos dos álbuns Vacio, Micromundo e Mar Abierto renovados pela gravação ao vivo em Buenos Aires.

O artista uruguaio subirá ao palco do Sesc Pinheiros na próxima sexta-feira (18) para se reencontrar com o público brasileiro antes de partir com a aclamada turnê por Argentina, México e Colômbia, seus próximos destinos. Terá a companhia de Marcelo Jeneci, quem encontraria pessoalmente pela primeira vez horas depois, durante seu primeiro jantar na capital paulista.

“Sinto que vem algo muito bom por aí”, empolgou-se falando sobre a colaboração musical recém-semeada. A relação iniciada via internet deve chegar ao próximo disco do cantor, já agendado para 2017. A escolha de Jeneci para o dueto ganhou um aval importante: “Conversei com o Jorge há alguns dias e ele achou incrível”.

Para o mundo da música, Jorge é o primeiro latino a ganhar o Oscar de melhor canção original com Al Otro Lado Del Rio, tema do filme Diários de Motocicleta. Para Daniel, é apenas o irmão-amigo, o “presente da vida”.

Os olhos brilham ao falar da amizade familiar com a mesma intensidade que ele discorre sobre temas como as inspirações para compor, a paixão pela música brasileira ou a criação do “templadismo”. Apesar disso, o médico e torcedor do Peñarol revelou: “Ser um Drexler foi um peso no início da carreira”.

Com a câmera desligada, Daniel quis saber as últimas novidades sobre o Campeonato Brasileiro e seguiu a conversa falando sobre a indústria latina no Brasil.  Além do talento, a simplicidade é a principal semelhança com o irmão mais velho.

Nesta entrevista exclusiva, Daniel Drexler faz uma retrospectiva da carreira, conta como o tropicalismo influenciou na criação de uma nova vertente musical e sentencia: “Se pudesse escolher um artista com quem cantar em todo mundo, escolheria logo dois, Caetano e Gil”.

Veja a entrevista completa de Daniel Drexler ao LatinPop Brasil

** post em parceria com Fernanda Cabrera e Thiago Gil

X