Conecte com a gente
Null

Entrevistas

CNCO: “Despacito abriu as portas da música latina no mercado anglo”

Publicado

em

CNCO anuncia lançamento do novo disco

Há um ano e dois meses, a CNCO deu sua primeira entrevista a um veículo brasileiro. Foi ao LatinPop Brasil. Em junho de 2016, a gente conversou com Erick Brian Colón, o mais novo e único cubano do grupo. Naquela época, eles nem sequer tinham publicado o disco Primera Cita ainda.

Nem eles são capazes de acreditar na virada que a vida deu de lá para cá. Recordes, prêmios, shows lotados. Eles falam disso com a mesma dose de surpresa, naturalidade e humildade.

“(Nossa vida mudou) muitíssimo. Desde que a gente começou, a gente conseguiu coisas que jamais tínhamos imaginado”, contam Richard Camacho e Joel Pimentel, ao telefone direto de Miami. “Prêmios, colaborações com artistas que a gente admira desde pequeno como Yandel e Wisin e até mesmo o Enrique Iglesias. Nós somos super agradecidos às pessoas que acreditam em nós. São pessoas que se esforçam todos os dias para que a CNCO siga adiante.”

E a CNCO não para de seguir adiante. O remix de remix de Reggaetón Lento com as Little Mix agora está levando Erick, Joel, Richard, Christopher e Zabdiel a novos patamares. O culpado pela parceria, aliás, é uma pessoa em comum no passado das duas bandas, Simon Cowell. Ele foi o idealizador do La Banda e jurado do X Factor britânico. Em uma conversa com a Sony Music, surgiu a ideia de junta-los. O resto é história.

Mas se Simon revelou a CNCO e agora está levando a boyband para o mundo, Richard e Joel acharam outro culpado para a música latina estar bombando no mundo todo: Luis Fonsi.

“A música latina está ganhando muita força, muito mais depois de Despacito. O Luis Fonsi abriu muitas portas e ajudou a derrubar as paredes que existiam entre o anglo e o latino. E com isso a gente agora pode até trabalhar com nossos ídolos, que são artistas americanos”.

Agora a gente faz o que? Espera que eles desembarquem no Brasil em breve. Bombar por aqui já estão bombando. Prometer vir para aqui, já prometeram. Virão? Com certeza. E não vai demorar nada.

Ouça a entrevista completa com a CNCO

*** A equipe do LatinPop Brasil agradece a Sony Music Brasil, que possibilitou a realização desta entrevista.

Entrevistas

Exclusivo: Piso 21 fala sobre Brasil, sucesso e novo disco

Publicado

em

Piso 21 fala com exclusividade ao LatinPop Brasil

Só com o último single, Déjala Que Vuelva, o Piso 21 acumula 300 milhões de visualizações no YouTube. A mesma música se aproxima de 100 milhões de streamings no Spotify, número que tem grande contribuição dos brasileiros, décimo público da banda colombiana em reproduções digitais.

Em pouco mais de uma década de carreira, Pablito, Llane, Dim e El Profe começam a experimentar o gosto do sucesso global. E se sentem gratos pelo reconhecimento vindo do Brasil.

Foram Dim e El Profe que conversaram com exclusividade com o LatinPop Brasil na última sexta-feira (19). O grupo é a grande aposta da Warner Music Brasil para 2018, ano que deve marcar a chegada do novo disco, o segundo da carreira do grupo

Como primeiro, o homônimo Piso 21, eles conseguiram uma indicação ao Grammy Latino na categoria Revelação em 2012.

Além dos bons números, o quarteto tem no currículo uma amizade de longos anos com Maluma, parceiro no hit Me Llamas, que abriu definitivamente as portas do mercado brasileiro a eles. A temporada pode reservar ainda uma parceria com Enrique Iglesias, artista qual eles falaram com muito carinho e admiração no bate-papo da semana passada.

Vamos dar play?

Ouça na íntegra a entrevista exclusiva com Piso 21

*** colaboração Priscila Bertozzi

 

Continuar Lendo

Entrevistas

Paty Cantú: “Entrar no reggaetón é uma mensagem de empoderamento”

Publicado

em

Natural é o novo single de Paty Cantú

Se você esperava um disco de Paty Cantú com Valiente, Amor Amor Amor e Rompo Contigo, saiba que as músicas entrarão como bônus track do próximo projeto discográfico da mexicana, #333, ainda sem data de lançamento divulgada.

O primeiro single oficial do álbum é #Natural, lançado no último dia 10. A música é resultado de anos de experiências culturais e musicais que transformaram a cantora desde o seu último trabalho, o Drama Queen En Vivo, de 2014.

Veja #Natural, o novo clipe da Paty Cantú (feat Juhn)

Assim como anterior, o novo CD também é um live. E com várias participações especiais ainda mantida em sigilo pela artista de 33 anos, nascida em Houston, mas criada em Guadalajara, no México.

“Tudo evolui na vida (…) Fazer reggaetón é também uma mensagem de empoderamento e tem tudo a ver com a fase que vivo”, disse Patrícia, que intercalava cada resposta com uma sonora risada.

O projeto foi gravado em sua terra natal e é bastante representativo em termos de raízes, de encontros e de descobertas. E ela é antenada. Ao falar de Brasil, citou Anitta como um exemplo de mulher de sucesso na música.

“Ela é lindíssima e muito talentosa (…) O Brasil teve várias bandeiras, de vários gêneros, mas agora é a vez dela”, disse a intérprete da inesquecível Corazón Bipolar.

Ela ainda lembrou a mensagem que mandou em português que levou os fãs brasileiros ao delírio no ano passado. “Foi uma maneira de me comunicar (…) Eles saem do Brasil e vão à Argentina, ao México para me ver. Acho que chegou a hora de eu retribuir e ir até vocês”.

Ouça a íntegra da entrevista de Paty Cantú ao LatinPop Brasil

Continuar Lendo
Anunciantes

Playlists

X