Connect with us

Entrevistas

Alejandro Sanz: “Ainda me falta escrever a canção mais bonita do mundo”

Published

on

Alejandro Sanz fala com o LatinPop Brasil sobre ano inesquecível

Alejandro Sanz vive um ano inesquecível. Mesmo sem um lançamento inédito, ele viveu a glória de ver o estádio Vicente Calderón lotado para comemorar em um show os 20 anos do seu álbum lendário, Más. As entradas se esgotaram em meia hora.

Não bastasse, a Academia Latina de Gravação o escolheu como homenageado do ano. Sua trajetória também será condecorada nos Prêmios Ondas. E se você acha pouco, tem mais: em novembro, o artista lançará Vive, sua primeira biografia.

E foi um Sanz absolutamente feliz com todos esses acontecimento que atendeu o telefone às 16h45 desta terça-feira, 24 de outubro. Simpático, a primeira coisa que fez foi perguntar sobre o clima, de onde eu falava e deixar claro que está morrendo de saudades do Brasil.

“Eu preciso voltar. Eu preciso do público brasileiro. Minha última turnê não foi e eu estou louco para sentir vocês de novo”, falou Alejandro Sanz ao LatinPop Brasil.

Em 15 minutos de um bate-papo descontraído, o cantautor relembrou seu maior sucesso, Corazón Partio. “Eu precisava mostrar minhas raízes, o flamenco, até então não tinha feito nada parecido. A música nasceu em um quarto de um hotel em Monterrey, no México, mas foi uma necessidade de colocar para fora o que eu realmente era”.

Sanz falou ainda sobre a relação com o Brasil e como conseguiu conquistar um público tão “peculiar” muito antes de explosão latina. Com tanta história, tanto sucesso e, mesmo com o passar dos anos, no auge da carreira, o que ainda falta para ele realizar na música?

“Assim como disse o Sabina, ainda preciso escrever a música mais bonita do mundo. Tenho muito trabalho a fazer ainda”, brincou o simpático músico de 48 anos.

A íntegra da entrevista você confere ainda nesta semana no LatinPop Brasil!

Relembre Más, o disco lendário de Alejandro Sanz

Entrevistas

Sebastián Yatra fala sobre Brasil e sucesso. Ouça a íntegra da entrevista!

Published

on

Entrevista exclusiva com Sebastián Yatra

Sebastián Yatra é um dos artistas favoritos da nova geração da música latina por aqui. Na manhã de terça-feira (28), ele conversou com o LatinPop Brasil e, mesmo com a ligação cortando em determinados momentos, sua empolgação pelo sucesso em território brasileiro era sentida à distância.

Mais ainda ao ser informado que o país é o 14º na lista dos que mais acessam seu conteúdo no YouTube, à frente de alguns hispano-hablantes, como República Dominicana, por exemplo, ou da Itália, onde já há uma forte promoção de seu trabalho.

“Ui, não sei [porque o Brasil gosta do meu trabalho e ri] Eu quero ir logo, quero conhecer esse país, meus fãs daí e iniciar esse novo capítulo na minha história”, disse Yatra, empolgado.

+ Leia Mais: Confira Contigo Siempre, a parceria do colombiano com Alejandro Fernández

O inusitado: parceiro da banda Fly em Traicionera no remix em português e de Ivete Sangalo em Yo Te Vine A Amar, ele revelou que sempre ouviu músicas no nosso idioma. Mas se engana quem acha que ele vai pelo caminho tradicional de citar Tom Jobim ou Caetano Veloso, os clássicos produtos de exportação musical do Brasil. Yatra é fã de Victor e Léo.

“A música é uma linguagem sem fronteiras, fala pelos instrumentos, pela melodia. Eu sempre ouvi muito o trabalho de Victor e Leo em português”.

As novidades não param por aí: chega em breve um dueto com Alejandro Fernández para colocar mais tempero em uma carreira recheada de colaborações estelares e inusitadas. E quem falta nessa lista?

“Muita gente. Adoraria trabalhar com Luis Fonsi, Enrique Iglesias, J Balvin, Anitta (que eu adoro)”, revelou um empolgadíssimo Sebastián Yatra.

Para finalizar, Ya No Tiene Novio, o single ao lado de Mau y Ricky que está conquistando o mundo, está fora da tracklist de Mantra, seu primeiro álbum. Vem disco novo por aí?

“Mais para frente. Mantra é o meu primeiro capítulo, é uma compilação de tudo o que fiz até hoje”

Ouça a íntegra da entrevista com Sebastián Yatra

Continue Reading

Entrevistas

Dulce Maria: “Quero levar Origen ao Brasil”

Published

on

Dulce Maria apresenta seu novo disco, Orígen

Ainda faltam alguns meses para o lançamento de Origen, o novo álbum de Dulce Maria, que só será publicado no ano que vem. O single chega logo, em setembro, em data a ser definida nos próximos dias.

A ex-RBD teve dois dias agitados de promoção para o Brasil e restante da América Latina. Ao LatinPop Brasil, contou que ainda não tem data para regressar ao país, mas pretende vir logo.

“Espero levar Origen ao Brasil porque amo vocês e agradeço todo o apoio“, disse a artista via Whatsapp.

Quer ouvir o bate-papo?

Empolgada, ela contou sobre o seu novo projeto discográfico, que resgatará algumas de suas composições da época do RBD que estão fora das plataformas digitais, ou temas que ficaram de fora de seu primeiro álbum, Extranjera. E avisou: é um disco com sua assinatura, suas decisões desde as artes à produção.

 

Parte do maior fenômeno da indústria latina nos anos 2000 pré-Despacito, a mexicana é modesta sobre os sonhos pendentes: Orígen é seu foco e seu principal objetivo na carreira no curto prazo.

Dulce Maria falou ainda sobre a possibilidade de fazer duetos no álbum, que ela considera muito pessoal e teria que procurar uma canção perfeita para dividir com alguém. Neste momento, colaborações não estão nos planos.

O futuro na música ou na dramaturgia? Ela responde!

E não faltou recadinho especial para os fãs brasileiros, que estão super ansiosos para iniciar esta nova jornada ao seu lado!

Atenção, guerreros!

Uma das canções já confirmadas é Cupido Criminal, apresentada durante um showcase da Billboard no México. Que tal rever a apresentação enquanto espera a chegada do primeiro single de Orígen?

Letra de Cupido Criminal – Dulce Maria

Algo no anda muy bien
Siempre lo hago al revés
Y termino cayendo
Por el hombre incorrecto
Creo que no tengo remedio
Cuando me dejo querer
Pierden el interés
Y si me trata muy bien

Hay un anillo en su dedo
Y al que me quiere no quiero

Ya sé a quién culpar
Cupido es un criminal, letal
Rompiendo corazones sin piedad, crueldad
Que a todos ha logrado engañar
Por mí que agarre sus flechitas
Y las clave en su enfermo corazón

Dicen que no es personal
Pero no puedo evitar
El sentir que me apunta y dispara en mi contra
Hasta parece una broma

Si encuentro al hombre ideal
Vive en otra ciudad
Y si tiene cerebro seguro es soberbio
O me ve como un juego

No me vuelvo a enamorar
Cupido es un criminal, letal
Rompiendo corazones sin piedad, crueldad
Que a todos ha logrado engañar
Por mí que agarre sus flechitas
Y las clave en su enfermo corazón

Rompiendo corazones sin piedad, crueldad
Que a todos ha logrado engañar
Por mí que agarre sus flechitas
Y las clave en su enfermo corazón, corazón

 

 

Continue Reading
Advertisement

Playlists

Advertisement
X