Connect with us

Todo El Mundo... Literalmente

O rap e hip hop em Todo El Mundo

Published

on

Hola, amigos de LatinPop Brasil!

Essa semana não tem mamilos. #todaschora

Mas tem um assunto bacana, e que eu gostaria de compartilhar com vocês. Se você acessa todos os dias o LatinPop Brasil já sabe que a Itália tem muita treta… quer dizer, muito rapper bacana, né?

Magnifico, do Fedez (as mina pira – mas não eu, só pra constar viu xará! :D) com a Francesca Michielin (que nos concedeu uma entrevista, vale a pena conferir!) é um dos singles mais vendidos na Itália há um bom tempo. O jurado do X Factor italiano está arrasando tanto que já conseguiu três discos de platina.

O mesmo posso dizer da figuraça, o querido J-Ax, jurado do The Voice of Italy, com seu mais recente hit Maria Salvador. No Youtube o cara já conseguiu mais de 20 milhões visualizações de seu clipe! Aliás, falando em The Voice, este é outro assunto que virá mais pra frente no Todo El Mundo… Apenas aguardem, ok?

Voltando ao Fedez e ao J-Ax, o movimento do hip hop na Itália está bombando, então porque não conhecermos mais artistas do gênero não só nos países latinos… Não é?

Antes de iniciar nossa viagem pelo mundo, vamos conhecer a origem do hip hop.

O inicio foi nos anos 70, nos subúrbios de Nova Iorque, mais especificamente pelas comunidades latinas (tá vendo, um dedo latino na origem do movimento!), jamaicanas e afro-americanas. O DJ Afrika Bambaataa é o homem responsável por estabelecer os principais pilares, digamos assim, e por isso, é o “pai” da cultura hip hop. Os pilares seriam o rap, DJ-ing, breakdance e o grafite.

O DJ norte-americano é o pai do movimento hip hop

O DJ norte-americano é o pai do movimento hip hop

O hip hop foi se espalhando pelos Estados Unidos e viajando pelos mares até se estabelecer como um dos ritmos que mais crescem até hoje no gosto do público. E é por isso que hoje em dia é difícil não termos um hit da música pop com algum featuring de artista de rap… Vide Beyoncé (com seu marido Jay-Z), Katy Perry (com Juicy J), Selena Gomez (com A$AP Rocky), Taylor Swift (com Kendrick Lamar) e muitos outros.

Mas nem vou me aprofundar nos EUA, pois estes já são bastante visados. E temos muito que conhecer na Europa e em outros lugares do mundo!

É o Robin (do Batman)? Não, é apenas o Orelsan no videoclipe de RaelSan

É o Robin (do Batman)? Não, é apenas o Orelsan no videoclipe de RaelSan

Começo pulando para a França, que é o reduto europeu mais interessante do cenário do rap e hip hop, na minha singela opinião. Porque ouvir a língua francesa pra mim é terapêutico… Hehe. Mas na verdade, a influência da cultura negra tem crescido cada vez mais devido a grande imigração de africanos para lá – e assim o gênero musical vai se espalhando, com vários artistas surgindo dos guetos locais.

Os meus artistas de hip-hop franceses favoritos são Soprano e Orelsan. Ambos são conhecidos entre os jogadores assíduos do FIFA, já que ambos os artistas já participaram da trilha sonora do jogo.

Soprano, nome Saïd M’Roumbaba, nascido em Marselha, de descendência comoriana, já tem uma carreira de 15 anos e faz parte do grupo Psy 4 de la Rime. Sua carreira solo iniciou-se em 2007 com o disco Puisqu’il faut vivre. Recomendo as canções Victory, Ferme les yeux et imagine toi e Cosmo, além do seu featuring com um dos meus cantores franceses preferidos, M. Pokora, chamado Mieux que nois.

 

Orelsan, nome Aurélien Cotentin, nasceu em Alençon e além de rapper, é produtor musical e faz parte da mesma gravadora do eurovisivo Jessy Matador, a Wagram Music. Sua carreira iniciou-se em 2004, fazendo parte do duo Casseurs Flowters, com o colega Gringe. E em 2009 ele resolveu partir para a carreira solo, trazendo canções como RaelSan, La Terre Est Ronde e Ils sont cools (parceria com o colega de Casseurs Flowters).  Outros nomes interessantes do rap francês que posso citar para vocês são Sexion D’Assaut, Youssoupha e James Deano.

Uma mistura de latinos com muçulmanos traz um dos artistas de hip-hop mais legais da Dinamarca

Uma mistura de latinos com muçulmanos traz os artistas de hip-hop mais interessantes da Dinamarca

Pulamos agora para a Dinamarca, onde trago, provavelmente, os artistas de hip hop que eu mais gosto na Europa inteira: Outlandish. Originalmente de Brøndby, o trio formado por Isam Bachiri Azouaoui, Waqas Ali Qadri e Lenny Martinez é uma mistura de culturas e religião: os dois primeiros são muçulmanos e o último, católico. Isam tem descendência marroquina, Waqas é descendente de paquistaneses e Lenny nasceu em Honduras!

Por mais que nenhum deles tenha a ver com o outro, o som é uma mistura interessantíssima de hip hop com violão, sons arábicos (como notamos na minha música preferida deles, Peelo) e latinos (tem versos totalmente em espanhol na canção I Only Ask Of God). O maior hit deles, que chegou ao topo das paradas na Alemanha, é o cover da canção Aicha, de Khaled. Mas vale a pena também conferir a versão deles do hit Redemption Song, de Bob Marley…

O grupo extinto já venceu duas vezes o prêmio de Melhor Artista Português no Europe Music Awards da MTV

O Da Weasel já venceu duas vezes o prêmio de Melhor Artista Português no Europe Music Awards da MTV

Em Portugal o hip hop Tuga (ou HHTuga) surgiu dos subúrbios de Lisboa e do Porto nos anos 80, trazendo também os artistas de Angola junto ao movimento. A compilação Rapublica, lançada em 1994, foi a responsável por lançar vários artistas como Boss AC e Black Company ao cenário da música lusa. Atualmente, nomes como Carlão (do grupo extinto em 2010, Da Weasel), Jimmy P e Mind da Gap mantém o HHTuga relevante nas rádios locais e nas paradas da MTV portuguesa.

No Reino Unido, o gênero já trouxe nomes mundialmente conhecidos como Tinie Tempah, Dizzee Rascal (que já gravou com a Shakira), Tinchy Stryder e o também ator Mos Def, além do grupo Stereo MC’s que fez muito sucesso nos anos 90 com o single Connected. Além dos bastante populares dentro do Reino Unido: Plan B, Professor Green e o grupo N-Dubz, que revelou a cantora e ex-jurada do X Factor, Tulisa Contostavlos.

Gabriel, o Pensador traz canções de cunho social e critica os problemas do país sem dó

Gabriel, o Pensador traz canções de cunho social e critica os governantes do país sem dó

O Brasil também tem muitos artistas de hip hop que tem carreiras de respeito, principalmente em Brasília, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. Podemos dizer que o percussor do rap brasileiro foi o falecido Jair Rodrigues, com a música Deixa Isso Pra Lá de 1964. Também se fala da origem do hip hop no Brasil vindo dos repentistas no Nordeste… Mas na verdade a sua origem foi nos anos 80 em São Paulo, com os grupos da periferia se reunindo na estação São Bento do metrô. Os nomes mais populares do hip hop em nosso Brasil são Gabriel o Pensador, Thaíde, Racionais MCs, MV Bill, Marcelo D2, Karol Conká, Emicida e Criolo, citando alguns exemplos.

Não é só nos EUA que os rappers e os “featurings” fazem sucesso, viu? No mundo inteiro (podemos ver claramente com os nossos latinos queridos) o rap e hip hop vem dominando as charts e saindo do gueto. E isso é muito bom, pois ajuda a quebrar o preconceito de muita gente com o movimento do hip hop (nem preciso citar porque).

Até a próxima semana!

Um abraço!

Todo El Mundo... Literalmente

Cher: a deusa do Pop cantando ABBA!

Published

on

Foto de divulgação

Hello sisters!

A coluna Todo el Mundo…Literalmente está sob nova direção! E prometo pra vocês, sempre trazer uma novidade por aqui! Agora vamos ao que interessa!

Resultado de imagem para gif aplausos

Que o mundo é da Cher e nós apenas habitamos nele, todos sabemos. A cantora de 72 anos está a todo vapor.

Imagem relacionada

Tem coisa que não precisa ser pauta recente pra ser mostrada novamente! Ou seja, vamos relembrar o trabalho mais recente da cantora, que foi lançado ano passado e merece ser enaltecido!

Resultado de imagem para gif cher

Após a sua participação mais do que especial no filme Mamma Mia: Here We Go Again, onde interpretou a canção Fernando, a cantora lançou um álbum em homenagem ao grupo sueco Abba, que contém 10 dos principais sucessos do grupo.

Resultado de imagem para cover dancing queen cher

Que capa maravilhosa não é?

O álbum foi lançado em 3 formatos diferentes: CD, Streaming e LP.

Quer ouvir? Então aperte o play aí!

Por hoje é só!

Kisses, bye bye!

Continue Reading

Todo El Mundo... Literalmente

Dua Lipa: a rainha de Todo El Mundo em 2017

Published

on

Dua Lipa foi o destaque internacional em 2017




Hola, amigos de LatinPop Brasil!

Chegou aquele clima de fim de ano, hora de relembrar tudo o que passou, as coisas boas e aprender as lições com coisas ruins que vivemos no ano que se foi. E claro que com música as coisas ficam muito mais fáceis, não é?

Por isso que este Todo El Mundo especial de fim de ano não vai fazer uma playlist com as músicas que eu mais ouvi no ano, mas sim, reverenciar a artista do ano na minha humilde opinião: estou falando de Dua Lipa!

A cantora inglesa de ascendência albanesa lançou seu primeiro álbum solo em 2 de junho deste ano, após ter lançado alguns singles de sucesso como Be The One e Hotter Than Hell. Mas ela não esperava que seu disco de estréia traria tantos hinos para o público…

DUA LIPA E AS NOVAS REGRAS

Dua Lipa é a rainha de Todo El Mundo

fonte: Instagram @dualipa

A música que mais tocou no meu Spotify em 2017 foi New Rules, o single mais icônico da cantora até agora… E não é só a melodia pegajosa e sua belíssima voz que contagiaram o público: a letra tem muito, mas muito significado e dá a maior força pra você que levou um pé na bunda do crush/ex e que ainda não se livrou do embuste… É a história de muitas pessoas por aí, né?

New Rules alcançou o topo das paradas britânicas, belgas, irlandesas e holandesas. E continua subindo na Billboard Hot 100…

One, don’t pick up the phone

You know he’s only calling

‘Cause he’s drunk and alone

Two, don’t let him in

You have to kick him out again

Three, don’t be his friend

You know you’re gonna wake up in his bed in the mornin’

And if you’re under him

You ain’t getting over him

I got new rules, I count ‘em

A cantora trouxe muitas histórias de empoderamento e superação em seu disco, de forma sutil e como uma tacada de mestre, tão digna de Taylor Swift (que conta várias histórias sobre sua vida, seus relacionamentos e afins em suas canções com as mesmas intenções). Porém, temos a diferença de que nós, reles mortais, podemos nos identificar com a dor e o sofrimento que Dua mostra em suas canções (vide IDGAF).

E não é só de dor, de separação ou perda que ela fala não: em Lost in Your Light, dueto lindíssimo com o cantor de r&b Miguel, ela se mostra completamente vulnerável e apaixonada, uma ode belíssima aos casais que se amam perdidamente. Ou até mesmo Blow Your Mind (Mwah) que é pura sedução! Não é a toa que seu nome significa “amor” em albanês.

Dua Lipa também fez participações em canções, uma com Sean Paul e outra com Martin Garrix, além de ter sido premiada como Melhor Artista Novata em diversos award shows como o Europe Music Awards da MTV, a BBC Radio 1 Teen Awards e a NME Awards. E ainda ouviremos muito mais dela por aí, ainda mais que teremos um show dela no Brit Awards de 2018…

Alguém duvida que ela ditou as novas regras do mundo pop?

Ouça New Rules, o maior hit de Dua Lipa

Em nome da Equipe LatinPop Brasil, desejo a todos vocês um feliz ano novo, com muuuuitas realizações e muitas conquistas!

Um abraço e até a próxima!




Continue Reading
Advertisement

Playlists

Advertisement
X