Connect with us

El Baúl De Los Recuerdos

Fey: relembrando músicas pop-dance latino

Published

on

A coluna desta semana é um teste para ver quem realmente conhece o pop latino dos anos 1990. Ou podemos dizer pop-dance latino. Maria Fernanda Blázques Gil, ou apenas Fey, uma cantora mexicana que lançou seu primeiro álbum em 1995, intitulado Fey.

Os principais singles do disco foram Media Naranja, Gatos En El Balcón, Me Enamoro De Ti, adorava a coreografia dessa última música. Tenho boas memórias de Bombon e seu refrão, uma pena não ter clipe dessa faixa, então deixo aqui uma versão ao vivo para recordar. Além das baladas La Soledad Me Matara e Bailando Bajo La Lluvia e as um pouco mais dançantes Fiebre de Sabado e La Noche Se Mueve. Sou suspeita para falar porque esse é, sem dúvida, meu álbum favorito, que conheço e sei cantar praticamente todas as músicas.

Assim como o primeiro, o segundo disco também tem músicas pop, pop-dance, baladas românticas que falam de amor e desilusões amorosas. Tierna La Noche, 1996, gravado na França, onde aproveitou o cenário das praças francesas e estações de trem para gravar o clipe de uma música do primeiro álbum, Gatos En El Balcón. Teve promoção no México, países da América Latina e Estados Unidos.

Fey-Tierna_La_Noche-Frontal

O CD já abre com a dançante Muévelo, o segundo single do álbum. O primeiro foi Azúcar Amargo, com clipe filmado em um museu no México. A música também é pop dançante, com direito a coreografia, e chegou ao topo da lista da Billboard Latino como Latin Pop Airplay e recebeu outros prêmios pela canção.

Te Pertenezco foi o seguinte lançamento. O clipe é de uma apresentação no Auditorio Nacional de México. Os demais singles foram Popocatépetl (nome de um vulcão ativo no México), Bajo El Arcoíris, Las Lágrimas De Mi Almohada e Subidón, esse último com clipe gravado na Pista de Hielo de San Jerónimo no México. Para finalizar a promoção do álbum, Desmargaritando El Corazón, uma baladinha pop romântica.

Uma coisa interessante no álbum são as versões de algumas músicas em português. Acho fofo quando algum artista canta em português carregado de sotaque espanhol. E não foi diferente com Açúcar Amargo (Azúcar Amargo), Ilusão Colorida (Te Pertenezco) e Mexe e Remexe (Muévelo).

Claro que ela também marcou presença no Festival de Viña del Mar. Inclusive, em 2005, em seu regresso ao festival, recebeu o prêmio de Miss Simpatia.

El Color De Los Sueños foi terceiro disco de Fey, lançado em 1998. O primeiro single foi Ni Tu Ni Nadie, seguido por Díselo Con Flores. Em seguida foi a vez de Cielo Líquido. O single de maior êxito foi Canela. Depois ela lançou ainda mais duas músicas – El e No Tengo Novio – como single, mas não tiveram promoção. Pela primeira vez a cantora experimenta uma fase de menos sucesso com suas músicas, talvez pelo fato de precisar se reinventar musicalmente e a necessidade de apresentar algo mais inovador e diferente para o mercado da música.

Ela já recebeu convite para estrelar novelas adolescentes, mas recusou. Mas uma coisa que ela fez foi lançar uma marca de roupa infantojuvenil, inspirada em sua filha, Isabella, de 4 anos. Inclusive fez parte dos jurados do Project Runway Latin America III. Podemos ver em seus clipes e shows que sempre está vestida na moda, com roupas coloridas e estilosas, dando um charme nas apresentações.

Mas mais antigo que isso é um brinquedo infantil La Onda Fey, lançado em 1997. A qualidade do vídeo não é das melhores, mas dá para se ter uma ideia.

Cansada das turnês, nesse período deu uma pausa na carreira e ficou alguns anos longe de holofotes. Nesse período também deixei de acompanhar a carreira da Fey. Sei que em 2002 ela lançou Vértigo, em 2004 foi a vez de La Fuerza Del Destino, com músicas da banda espanhola Mecano, com canções como La Fuerze Del Destino, Barco a Venus, Aire, Mujer Contra Mujer, Me Cuesta Tanto Olvidarte, Un Año Más, entre outras.

La Fuerza Del Destino (do Mecano)

A menina virou mulher e continua fazendo as dancinhas…

Fey lançou outros discos, inclusive coletâneas e álbuns ao vivo, incluindo Primera Fila (2012) e, em 2014, Todo Lo Que Soy En Vivo Auditorio Nacional, última turnê da cantora, assisti recentemente pra relembrar os sucessos antigos da mexicana.

X