Principal / Colunas / De Hermano Para Irmão / As vitórias dos países latinos no Eurovision
Francesco Gabbani é o vencedor do Festival de Sanremo 2017 e irá ao Eurovision

As vitórias dos países latinos no Eurovision

Hola, hermanos!

Estamos na semana do Eurovision e a redação do LatinPop Brasil está tipo assim:

A empolgação pelo Eurovision é enorme, em especial porque um país latino é o grande favorito à vitória. O italiano Francesco Gabbani é líder absoluto de todas as enquetes, rankings e apostas. Se ele ganhar, seria o décimo artista vindo de um país latino (espanhol, francês ou italiano) a levantar o troféu, e o primeiro em consegui-lo em 27 anos.

Na coluna de hoje, vamos repassar essas outras conquistas dos países latinos no festival. Consideramos apenas as conseguidas por Espanha, França e Itália, e não as que outros países atingiram cantando em idiomas latinos – essas ficaram para outra ocasião.

França: 🏆🏆🏆🏆🏆

Marie Myriam ganhou o último trofeu pela França, em 1977

A França ainda é o país latino mais bem-sucedido no Eurovision, com cinco vitórias. Porém, todas elas viram nos albores do festival: 1958, 1960, 1962, 1969 e 1977. Sim: são 40 anos sem a França gritar campeã. Em tudo este tempo, a maior posição atingida pelo país foi um segundo lugar (em 1990 e 1991).

Como já comentamos em algumas Uh La La (aqui e aqui), a França recentemente passou por um período prolongado de “inutilidade eurovisiva”, o que derrubou a imagem do país no festival. O novo chefe da delegação francesa está fazendo um grande esforço para que o país alcance mais uma vitória. Tomara que ela chegue logo…

Espanha: 🏆🏆

Massiel ganhou pela Espanha em 1968

Vocês acharam que 40 anos sem conquistas francesas é um exagero? Bem-vindos à Espanha: as suas duas vitórias foram nos anos 1968 e 1969 (faz quase meio século) e estiveram cheias de drama à la telenovela mexicana.

Em 1968, a RTVE (emissora espanhola responsável pela participação do país no festival) tinha selecionado o Joan Manuel Serrat como representante com La La La. Mas o artista queria cantar a música em catalão. A ditadura do Francisco Franco não gostou disso. Eles tiveram que trocar de cantor na última hora: Massiel cantou a mesma canção em espanhol e venceu o Eurovision.

Em 1969, o festival foi celebrado em Madri. A representante espanhola foi Salomé com Vivo Cantando. O resultado final deixou todo mundo pasmado: no fim das votações, QUATRO países tinham empatado na primeira colocação (o Reino Unido, a Holanda, a França e, claro, a Espanha). Ninguém soube o que fazer, e a organização do evento decidiu atribuir a vitória aos quatro países. Mais sobre essa bagunça aqui e aqui.

 Itália: 🏆🏆

Os dois vencedores italianos apresentaram o Eurovision de 1991, em Roma

A Itália também venceu duas vezes. E as duas foram de forma incontestável. A primeira chegou em 1964 graças a uma super jovem Gigliola Cinquetti e a sua bela Non Ho L’Età. A música já tinha vencido o Sanremo desse ano e levou o Eurovision com a maior pontuação atingida na época (49 pontos, quase três vezes mais do que o segundo colocado).

A segunda vitória dos azzurros (e a última dos países latinos até hoje) chegou em 1990, com Toto Cotugno e a emblemática Insieme: 1992. A música trazia a mensagem de unir a Europa que estava em crise depois da queda do Muro de Berlim.

Se tudo der certo, a Itália estará comemorando a sua terceira vitória neste sábado. Eu vou estar torcendo por eles desde casa.

Comentários

comentários

Ver também

thekolors

Ouça You, o novo álbum do The Kolors

The Kolors passou 2016 descansando a imagem. Pouco se ouviu ou leu sobre o grupo …

X