Conecte com a gente

1, 2, 3 Go!

Eurovision e as quase vitórias latinas

Publicado

em

Eurovision e as quase vitórias latinas

Hola LatinPop!

Finalmente chegou a melhor semana do ano! É semana de Eurovision, minha gente!!!! Muita música, muitas emoções e muito favoritismo. A Itália de Francesco Gabbani é a grande favorita desse ano, diferente da situação espanhola…

A Itália já venceu duas vezes (1964 e 1990) e a Espanha levou a melhor também duas vezes (1968 e 1969). Nos últimos dias Portugal tem subido nas casas de apostas e a dúvida que fica é: será que Salvador Sobral pode bater Gabbani?

Pois bem, tanto a Itália quanto a Espanha já beliscaram a vitória em algumas oportunidades, como o Dave contou uns dias atrás. Hoje nós vamos mostrar algumas vezes em que o título do Eurovision quase ficou em território latino.

1. Franca Raimondi – Aprite le finestre / Tonina Torrielli – Amami se vuoi (1956)

A primeira edição do festival contou com duas músicas de cada um dos países participantes. A Espanha não esteve presente, diferente da Itália, um dos sete países na competição. As duas participantes ficaram em segundo, unicamente porque não anunciaram a colocação das demais concorrentes. Ou seja, tirando Lys Assia, todo mundo ficou no “segundo lugar”.

2. Mocedades – Eres tú (1973)

Uma das canções mais famosas já enviadas pelos espanhóis é Eres Tú. Apenas quatro pontos separaram a Espanha da bicampeã consecutiva Luxemburgo. A prova do sucesso do hit do Mocedades é que Eres Tú foi uma das selecionadas para participar do especial Congratulations, que marcou o aniversário de 50 anos do festival.

Dentre as 14 canções, Eres Tú ficou na décima primeira colocação do ranking de “melhores músicas do Eurovision”.

3. Gigliola Cinquetti – Si (1974)

Dez anos após a primeira vitória italiana no festival (vitória essa graças a própria cantora em questão), Gigliola Cinquetti tentou a segunda vitória para seu país. O único problema é que ela não contava com quatro pedras em seu caminho: ABBA.

4. Betty Missiego – Su canción (1979)

Uma das derrotas mais confusas da história aconteceu em 1979. A Espanha estava na liderança e era o último país a votar. Ela bem que poderia ter sido malandra, mas a voz da consciência falou mais alto ou então nem cogitaram fazer a malandragem e a Espanha acabou dando a vitória para Israel, que já havia vencido no ano anterior. Pobre Espanha…

5. Anabel Conde – Vuelve conmigo (1995)

A última vez que a Espanha quase abocanhou o título do Eurovision foi em 1995. Depois da tripla vitória irlandesa, Anabel Conde bem que tentou, mas não foi páreo para a mágica Nocturne norueguesa.

Além dessas, a Itália ficou em segundo lugar no seu retorno ao Eurovision, em 2011. Porém, essa música foi listada na semana passada, então ela ganha apenas uma menção honrosa.

Por hoje é só. Buenas 😉

1, 2, 3 Go!

A música latina na intimidade do seu quarto

Publicado

em

Por

A música latina foi para o quarto

Hola LatinPop Brasil!

O sono tá chegando, certo? Errado! Nós estamos bem acordados com o novo single de Karol G, Mi Cama. Deixando a preguiça de lado (ou não), vamos aproveitar o clima aconchegante que só um bom quarto tem para listar cinco músicas que tem tudo a ver com o melhor ambiente da casa depois da cozinha no almoço de domingo.

1. Juhn feat. Bad Bunny & Noriel – Puerta Abierta

Nada melhor que começar o texto através da porta para entrar no quarto, né?! Nesse caso, o pedido para que a porta do quarto fique aberta é cheio de segundas intenções…

2. Marc Anthony – Almohada

Não tem melhor parceiro pra ajudar aquela bad maldita do que o travesseiro. É ele que te acalenta, que te acaricia e que enxuga tuas lágrimas. O travesseiro também faz o papel da pessoa amada quando você acorda e percebe que está sozinho. Não é mesmo, Marc Anthony?!

3. El Sueño de Morfeo – Momentos Dormidos

Essa música do trio espanhol é uma boa e maravilhosa forma de dar um tapa na cara do amiguinho pra que ele possa reagir e dar a volta por cima. “Descubra o caminho”, “Viva o presente” e “Você só tem que andar” são algumas das frases motivacionais desse hino que te manda sair do sono para seguir em frente.

4. Becky G & Natti Natasha – Sin Pijama

Becky G tá bem ousadinha nos últimos tempos. Depois de Mayores, ela quer ficar sem pijama. Será que ela tá envolvida com o moço que pediu pra deixar a porta aberta lá no início do post?

P.S.: Amo o nome Natti Natasha. Não sei porque não pensei nesse nome pra minha drag.

5. Bebe – Con mis manos

Talvez essa seja a música que menos tenha a ver com o texto, mas na verdade ela é a que mais faz sentido. Quem nunca ficou suspirando por alguém no seu quarto? Quem nunca pensou em algo mais com essa mesma pessoa no mesmo lugar? Bebe deixou isso bem claro ao dizer que “na solidão do meu quarto eu penso em você com as minhas mãos”. Entendedores entenderão.

Por hoje é só. Buenas!

Continuar Lendo

1, 2, 3 Go!

Eurovision e a vida antes do festival

Publicado

em

Por

A vida antes do Eurovision 2018

Hola LatinPop Brasil!

Como já deu pra perceber, finalmente começou o Eurovision 2018! Quarenta e três países estão na disputa pelo maior troféu em forma de microfone da Europa, quiçá do mundo! Os países latinos estão na disputa e alguns são considerados favoritos. Para mostrar que existe vida antes do Eurovision, vamos listar algumas músicas relevantes das caras latinas e vizinhas no festival.

1. Amaia & Alfred

O duo espanhol foi escolhido à moda antiga: os finalistas do Operación Triunfo participaram de uma seleção a parte do reality para definir o representante espanhol. O programa, que fez bastante sucesso na primeira metade da década passada no país, teve Amaia e Alfred como participantes (ela foi a vencedora!) e eles renderam ótimas apresentações, como o cover de Shake it out de Amaia e o show em português feito por Alfred.

2. Ermal Meta

Ermal nasceu na Albânia, mas poderia muito bem ser brasileiro. Desde 2016 (ele competiu anteriormente, mas não vem ao caso) ele vem tentando vencer o Festival de Sanremo e só conseguiu esse ano. O mais engraçado foi que nas outras vezes ele perdeu para a mesma pessoa: Francesco Gabbani. 2018 foi a vez do sol brilhar pra ele, já que o Gabbani não estava na disputa.

3. Fabrizio Moro

Outro que tem carteira de fidelidade pelo Festival de Sanremo é Fabrizio Moro. Diferente de Ermal Meta, Moro venceu a categoria das 9inha em 2007 com Pensa. Onze anos se passaram e ele ainda faz a mesma cara de sedução feat. tô chapado.

4. Isaura

Sim, Claudia Pascoal é a representante de Portugal no Eurovision desse ano, porém a Isaura está pra cima e pra baixo com ela que podemos dar destaque para a compositora de O Jardim. Ela deu as caras para o mundo na quarta edição do Operação Triunfo (versão portuguesa do mesmo programa que lançou Amaia e Alfred para o mundo) e a carreira dela decolou mesmo com a derrota na competição.

5. Madame Monsieur

É bem verdade que duo francês só conseguiu um sucesso relevante depois de sua vitória no Destination Eurovision. Porém isso não significa que eles não tenham feito música boa antes. Partir é um bom exemplo do trabalho delicioso de se curtir que eles fazem.

Por hoje é só. Buenas!

Continuar Lendo
Anunciantes

Playlists

Anunciantes
X